CORRA ATRÁS DOS SEUS SONHOS. AINDA ESTA EM TEMPO.


Muitos sonhos e anseios sonhados no ano de 2010 ainda não aconteceram. Soren Kierkegaard filósofo existencialista disse certa vez que: " A vida só pode ser compreendida olhando-se para trás, porém, só pode ser vivida olhando-se para a frente...". Por mais que tenhamos tido decepções, infortúnios e tristezas nunca podemos perder a fé em nossos sonhos. Nossos sonhos alimentam a nossa vida, alimentam a nossa esperança e nos fazem atingir o nosso alvo e o nosso alvo é e sempre será o conhecimento pleno do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, para que junto possamos sonhar os mesmos sonhos. Deus sonha os seus sonhos reais, mas não os imaginários. Deus é seu parceiro em seus sonhos e dentro da sua soberania e vontade Ele poderá fazer o impossível (Lc. 1:37), porque o possível somos nós que temos que fazer. Ele enxuga as nossas lágrimas e nos devolve a nossa esperança nos projetando para a nossa vitória. Entregue suas lágrimas ao Senhor Jesus que Ele renovará as suas forças. Entregue sua vida ao Senhor Jesus e o resto Ele fará.



Paulo escrevendo aos filipenses (Fp.3;10) disse que: "Tudo o que eu quero é conhecer a Cristo e sentir o poder da sua ressurreição.


O SER HUMANO EM PRIMEIRO LUGAR.


Força em 2011



terça-feira, 21 de dezembro de 2010

QUAL DOS TRÊS VOCÊ É?


Gn. 26: 17 - 21

Encontramos nesse trecho da bíblia sagrada três tipos de circunstâncias que tipificam três tipos de pessoas: na igreja, na família e no trabalho.

O primeiro tipo de pessoa que existe é o poço entulhado.


Veja que no (V.19) depois que eles desentulharam o poço encontraram águas vivas. Águas vivas significam abundancia, alegria, saúde, harmonia, graça, paz. Antes aquele poço fluía toda essa abundancia, mas, estava entulhado, tinha abundancia, mas, estava obstruído. Infelizmente existem muitas pessoas como esse poço entulhado, pessoas que tem tudo para fluir o melhor de Deus. Pessoas que tem tudo para ser uma benção na igreja, na família, no casamento, no trabalho, mas, estão entulhados de problemas, entulhados de limites, de medos, de vergonha, de mentiras, de pecados, de dívidas. Pessoas que tem águas vivas, que tem potencial, habilidades, criatividades, inteligência, mas, estão entulhados até a cabeça de problemas. Pessoas que não conseguem resolver seus problemas, mas, ao contrario só atrai mais problemas. É problema consigo mesmo, é problema sentimental, é problema profissional, é problema com os estudos, é problema com as outras pessoas. Você nasceu para resolver problemas, e não para ser entulhado de problemas. A maioria das pessoas que estão entulhados de problemas é porque não sabe dizer não. Não sabe dizer não para o pecado, não sabe dizer não para a imoralidade, não sabe dizer não para à luxuria, não sabe dizer não para o abuso, não sabe dizer não para a fofoca. Existem pessoas que estão com suas vidas entulhadas de problemas porque tem medo de falar não, de serem rejeitadas, desvalorizadas e abandonadas. Jesus afirma em (João. 7: 38) "que quem crê em mim, como diz a escrituras, do seu interior fluirão rios de água viva". Deixe de ser poço entulhado e seja um poço que flui água viva.

O segundo tipo de pessoa que existe é o entulhador de poço (V.18).

Entulhador de poço é aquele (a) que só entulha coisas que não edifica em nada as pessoas. Deveria de ser benção, porém, acaba se transformando em maldição na vida das pessoas (Hb. 12:15). Entulhador de poço é quando contaminamos as pessoas com aquilo que nos limita; com os nossos pensamentos mesquinhos; com palavras que vão levar as pessoas para baixo e nunca para cima. Pessoas que são deprimidas normalmente levam as outras a depressão, ou seja, as empurram para o fundo poço, é tipo assim, eu já estou lá vou levar alguém comigo. Você abrir o seu coração para dar um aconselhamento que vai ajudar a compreensão de uma crise existencial de uma pessoa é uma coisa, agora sair contaminando as pessoas com suas amarguras, com suas criticas, com suas insatisfações, com aquilo que é problema seu, isto é ser entulhador de vidas (poços). Quantas esposas (os) estão contaminando os seus casamentos com acusações, com criticas, com ciúmes, com brigas que não tem nada haver, só entulha cada vez mais o casamento. Quantas pessoas estão contaminando o seu ambiente de trabalho, entulhando cada vez mais a sua vida profissional. Quantos jovens estão contaminando os seus namoros e só estão entulhando cada vez mais o projeto de casamento. Você é um filisteu, você é um entulhador de poços, você é um entulhador de vidas. Você esta obstruindo as águas de Deus fluir dessas pessoas (II.Tm. 3: 1 a 5). Afasta-te dos entulhadores de poços (V.18).

O terceiro tipo de pessoa que existe é o desentulhador de poços.

Isaque era um desentulhador de poços. Isaque não tinha nenhuma dificuldade de desentulhar poços, ele não desanimava diante dos poços entulhados. Isaque não desistia perante poços entulhados, Isaque não desistia perante os problemas da vida, ele estava sempre desentulhando poços, desentulhava por que ele sabia que Deus era com ele e que em algum momento ele iria intervir na sua história momentanea. Como Deus tem procurado os Isaques nesses dias para desentulhar as vidas das pessoas, as famílias e os casamentos. Pessoas que estão dispostas a dividir com os outros as bênçãos e vitórias que Deus tem proporcionado na sua vida, em seu casamento, na sua família, em suas finanças, em seu lar, em seu trabalho. Como precisamos de Isaques nesses dias (Is. 41:6). Isto é ser um desentulhador de poços, isto é ser um desentulhdor de vidas. Que você seja um desentulhador de poços na vida das outras pessoas. Seja um abençoador na obra do Senhor.


Mensagem pregada na Congregação de Parque Chuno

Ministério da CADJARP em 13/06/2010

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

O TEMPO DE DEUS NA SUA VIDA


(Sl. 136)
Disse um certo filósofo que: "A preocupação olha em volta, a tristeza olha para trás, a fé olha para cima".
Certa lenda conta que estavam duas crianças patinando em cima de um lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam sem preocupação. De repente, o gelo se quebrou e uma das crianças caiu na água. A outra criança vendo o desespero do seu amigo que se afogava debaixo do gelo, pegou uma pedra e começou a golpear com todas as suas forças, conseguindo quebrá-lo e salvar o seu amigo. Quando os paramédicos chegaram e viram o acontecido, perguntaram ao menino:
- "Como você fez isso? Impossível que você tão franzino tenha conseguido com essa pedra quebrar o gelo".
Nesse instante chegou um ancião e disse:
"Não havia ninguém aos seu redor para lhe dizer que ele não poderia fazer!
Os gregos tinham duas palavras para se referir ao tempo:
1- CHRONOS - Tempo atual. O momento em que algo deve ser realizado. Ex. O momento em que você está vivendo agora (oportunidade conquistada). Tempo real.
2- KAIRÓS - Tempo estratégico. O tempo (momento) em que algo deve ser feito ou realizado (uma oportunidade a ser conquistada).
O Homem trabalha no CHRONOS, ou seja, o homem é extremamente imediatista. Somos impelidos pela nossa natureza a conquistadas imediatas. Não sabemos esperar e a ansiedade é um dos grandes males deste século. Podemos então dizer então que: CHRONOS é o tempo de agir do homem e KAIRÓS é o tempo de agir de Deus. Deus conta o tempo diferente de nós o que para você é espera para Deus é tratamento.
O salmo 136 divide o tempo em quatro partes:
Vs. 1-9 - O salmista fala das maravilhas que só Deus pode fazer. Reedita Gn. 1 e a criação do mundo (O céu, a terra, o sol e a lua), sendo que naquele tempo esses elementos eram considerados deuses pelos outros povos da terra. No vs. 2 ele diz "Rendei graças ao rei dos deuses". Ele fez todos esses elementos. Ele é o criador de tudo e por causa disso a Sua misericórdia dura para sempre. A bíblia diz que "O que darei ao Senhor por todos os benefícios para comigo". O que darei ao Senhor por tudo o que Ele tem feito na nossa vida. O Senhor é bom (1Jo. 4:8-10). Ao dar o seu filho, o Pai quer nos mostrar o amor perfeito em que Pai e Filho sempre tiveram (vida eterna). Filho unigênito quer dizer que: Jesus é filho de Deus em eternidade. No grego unigênito quer dizer: um e único.
Vs. 10-15 - O salmista continua celebrando as maravilhas de Deus, só que agora Ele entra na história do povo.
Vs. 16-22 - O salmista continua celebrando as maravilhas de Deus, só que ele agora aborda o tempo do deserto e da posse (conquista) da terra prometida.
Vs. 23,24 - O salmista continua celebrando as maravilhas de Deus, só que agora não especifica o momento histórico.

Assim como no salmo, a igreja e cada um de nós passamos por momentos dos mais diversos em nossa história. Vivemos a opressão do Egito, que vem a ser o nosso passado pecaminoso, mas, nos lembramos das misericórdias de Deus em nossa vida que pode nos libertar das amarras do maligno, ou seja, das amarras dos nossos conflitos existenciais. Quando somos libertos do Egito caímos no deserto, mas, vem O Senhor e nos lembra que existe uma terra prometida, existe uma válvula de escape que é Jesus Cristo autor e consumador da nossa fé, que nos prometeu a vida eterna. Ele mesmo disse: "No mundo tereis aflições, mas, tenha bom ânimo Eu venci o mundo". Você vai ter aflições, você vai ter problemas, você vai ter complicações na tua vida, mas, através da sua perseverança junto com Jesus você chegará a vitória. O Senhor nos leva a pastos verdejantes e duradouros. Não ore ao Senhor pedindo que lhes suprima as cargas, mas, sim que lhe dê ombros fortes. Qualquer que for o tempo que estamos vivendo, Deus sempre estará sendo misericordioso conosco, Suas promessas são para hoje, Suas promessas são atuais para você que não vê saída para a sua crise. Deus sonho os seus sonhos. Deus compartilha os seus sonhos e guerreia junto com você. O que você tem que entender é que do chronos para o Kairós existe um espaço de tempo que só Deus conhece.
E disse ao Senhor: "Eis que Eu estarei contigo até a consumação dos séculos."


Mensagem Pregada no dia 19/12 na

Congregação da A.D de Parque Chuno - Ministério da CADJARP.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

APRENDENDO PRINCÍPIOS DE LIDERANÇA


(Sl. 115:16; Ex. 3:7,8; At. 7:30-32; 35,36; Ex. 14:1-4)

EXÓRDIO:
A história de cada um contém a história de um tempo, dos grupos a que pertencem. A história nunca está pronta, nem é absoluta: O fazer histórico é um processo permanente. Seria impossível imaginar a vida sem a história. Deus te colocou na terra para ser um canal de bênção para este tempo da sua história.
Somos hodiernamente confrontados pelas grandes dificuldades de mundo. Quantas dificuldades têm se levantado contra o povo de Deus, mas, eu quero te dizer uma coisa, a Bíblia diz que: "O Senhor peleja por nós". Deus se lembra de nós 24 horas por dia (Sl. 91:7). Ele indica o caminho para a nossa vitória. Deus te colocou na terra para fazer história. Deus te colocou na terra para ser um canal de bênção para este tempo da sua história, você não está aqui só para viver, você foi colocado aqui para ter algo pelo que viver, ou seja, sua vida tem que ser produtiva para Deus. Você tem que ter uma meta e criar a sua própria história. O Senhor Jesus disse certa vez que: "Eis que vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano" (Lc. 10:19).
Paulo disse: "Não sou eu que vivo, mas, Cristo vive em mim", Paulo estava dizendo que Cristo ocupava 100% da sua vida. Ele também disse que: "Tudo posso naquele que me fortalece", porém, no contexto anterior ele mesmo diz que: passou fome, sede, foi chicoteado, sofreu injúrias; sofreu, sofreu, sofreu, mas, em tudo Cristo o fortalecia.
Estudar a vida de Moisés é conhecer a frustração e a satisfação em Deus. Como um homem instruído, criado junto ao faraó e com grandes conhecimentos, se tornou um “fujão”.
Moisés sabia que era especial, ele conhecia o sofrimento do povo hebreu que era escravizado no Egito. Ele conhecia o plano que Deus tinha para ele, mas, foi precipitado ao matar um egípcio. Sentiu a fúria do seu povo e fugiu. Moisés era um líder frustrado. Mas como este líder fujão se tornou o legislador de Israel e um homem tão usado?
Quatro pontos da vida de Moisés que fizeram a diferença na sua liderança e como elas podem nos ajudar a sermos pessoas capacitadas por Deus.

I- MOISÉS SOUBE VENCER SUAS LIMITAÇÕES.
Entre a fuga e o chamado, Moisés deveria ter cerca de 80 anos, o sentimento de culpa e de frustração deve ter acabado com toda a sua motivação que ele tinha para libertar o seu povo, mas, não acabou com o propósito de Deus com esse homem.
Mas não foi fácil houve uma verdadeira batalha para que o frustrado Moisés entendesse que ele estava sendo chamado.

Veja as argumentações dele para não ser usado por Deus.
“Quem sou eu para ir ao Faraó e tirar do Egito os filho de Israel?” (Ex. 3:11).
“Deus, eu não sei explicar quem é você” (Ex. 3:13) .
“Eles não crerão, não ouvirão a minha voz” (Ex. 4:11).
“Eu não sei falar direito, nem antes de receber o chamado e nem agora” (Ex. 4:10).
“Envia outra pessoa, mas não eu!” (Ex. 4:13)

Você consegue enxergar essas desculpas? Quando somos chamados por Deus todos e mais outros questionamentos passam na nossa cabeça. E daí o que fazer? Se Moisés soubesse que aquela sarça ia pegar fogo naquela hora, naquele momento, ele não saia da cama naquele dia.

O primeiro passo para ser um líder conforme a vontade de Deus é VENCER NOSSAS LIMITAÇÕES E FRUSTRAÇÕES.
Saiba que a obra não é sua, mas, de Deus. Aprenda a colocar suas limitações e frustrações diante do trono de Deus. O resto é com Ele.

II- MOISÉS APRENDEU A SUPERAR DESAFIOS.
Líderes sem desafios não são líderes. Porque são neles que nos aperfeiçoamos, é através deles que crescemos e amadurecemos. Problemas em grupo/departamentos sempre vão existir, mas, você tem que aprender a maneira certa de encarar eles. Entenda isso como obra de satanás para te tirar da igreja, entenda isso como inveja, entenda isso como pessoas que te invejam por não conseguirem alcançar o espaço que Deus te colocou. Agradeça a Deus por ter esses percalços em sua vida ministerial, porque provavelmente o Senhor está provando a sua fé para com Ele. A obra não é sua, mas, sim dÊle
Moisés em sua primeira missão após receber o chamado de Deus, junto com Arão, foi falar com o Faraó e pedir para que libertasse o povo. Não foi uma grande experiência. Haveria desafio, além do Faraó achar a idéia absurda, ele manda com que o povo hebreu trabalhe o dobro a partir daquele momento. Mais uma experiência complicada para o currículo de Moisés. Mas ele aprendeu a confiar em Deus, depois de uma dura do Todo Poderoso.
Não podemos desistir na primeira. Deus é o mesmo e sempre será libertador e poderoso. Talvez essa tenha sido a lição mais valiosa, para encarar o maior desafio que viria pela frente.
Não existe crescimento sem trabalho em equipe. O maior presente que um líder recebe é ver em sua equipe outros líderes serem formados. Todos têm que saber que são importantes e possuem capacidade para estar dentro do corpo de Cristo
Líder comece a orar e pedir para que aquela pessoa que você esta vendo crescer dentro da mesma área que você seja vitorioso.
Lembrem-se quem entrou na terra prometida? Josué e não Moisés!

III- MOISÉS APRENDEU A TER INTIMIDADE COM DEUS.
Entramos na área que mais fez diferença na vida de Moisés. Para você que gosta de ler e estudar sobre liderança, sabe que qualquer líder em qualquer área deve: superar seus limites, enfrentar desafios e saber trabalhar em equipe.
Mas nós não somos líderes comuns! Temos intimidade com Deus. Argumento de Moisés frustrado “Deus, eu não sei explicar quem você é” (Ex. 3:13)
Veja a diferença em (Ex. 33:10-23), agora ele não queria largar o seu amigo! Líder que não possui intimidade com Deus não vai longe. Essa é a maior lição que aprendemos com esse homem.
Moisés era o canal entre Deus e o povo, era necessário uma relação de intimidade para que tudo acontecesse, como um amigo confia no outro.
Se você sente que está falhando nessa área, saiba que as maiores causas dos problemas no teu ministério estão aí, é hora de mudança. Está na hora dos filhos de Deus resplandecerem a glória da presença de Deus.

Temos que ver Deus em nossa pessoa. Só assim verão que não só seus talentos e sua inteligência que fazem a obra, e que por mais limitado que você seja há alguém muito maior que você do seu lado, segurando a sua mão e dizendo que está contigo.

Mensagem pregada no dia 17/12 na congregação da
A.D. Nova Filafelfia - Piabetá/Magé - Ministério da CADJARP

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

ATITUDES QUE NOS LEVAM A VITÓRIA


(Sl. 55:22; Jo. 5:1-15)

O que o Espírito Santo quer nos revelar nessa noite são as atitudes que nos ajudarão a trilhar o caminho da vitória. Você descobrirá como um homem sem condições emocionais e físicas pôde superar as dificuldades que lhe afrontavam.
O Homem é a mais perfeita máquina do universo. É um ser imensurável, contudo pode ser avaliado por seus pensamentos, palavras, atos e omissões.
Existem (3) três coisas na vida que jamais retornarão: o tempo, as palavras e as oportunidades.
Acreditamos que a vida é sempre e sempre será uma progressão. Vamos paulatinamente crescendo.
Você já foi visitar algum lugar onde estivessem pessoas doentes e inválidas reunidas? Um hospital por exemplo, um asilo. Como você se sentiu? Você com certeza vislumbrou um lugar de incertezas, de medo, onde muitas das vezes as pessoas buscam o sobrenatural de Deus, a misericórdia de Deus na esperança de resolverem os seus problemas. Muitas vezes, até mesmo os incrédulos e ateus se apegam a essa esperança, pois, o medo da morte eminente nos leva a tatear a esperança do sobrenatural.
É maravilhoso quando conseguimos perceber a grandiosidade da Graça de Deus manifestada sobre nossas vidas. Muitas pessoas vivem atribuladas e entristecidas por imaginarem que o Senhor se esqueceu delas, ou por terem perdido a esperança de que Deus possa tocar em suas mazelas e curar suas feridas. No Evangelho em tela, dentre muitas belas narrativas, destaco uma onde Jesus, indo participar da Páscoa em Jerusalém, resolve se deter por algum tempo em um lugar, à porta da cidade, chamada Betesda.
O texto bíblico nos diz que em Jerusalém, perto da chamada Porta do Gado ou Porta das Ovelhas como foi chamada mais tarde (A Porta das Ovelhas era a menor, mais estreita e a mais feia de todas as doze portas, não foi feita para passagem de homens e sim de ovelhas. Era chamada de porta das ovelhas, pois, na época da construção do templo sobrou um pedaço de terreno e os sacerdotes tiveram a idéia de fazer os tanques para lavar as ovelhas que seriam sacrificadas no altar do holocausto. Esta porta ficava no norte, e dava para o fundo do templo. Sob o ponto de vista espiritual era a porta mais importante, foi à primeira porta a ser construída e a única a ser consagrada, pois, de nenhuma outra a bíblia diz que foi consagrada, somente esta! (Ne. 3:1) A Porta das Ovelhas foi consagrada por dois motivos: 1º Foi à primeira parte dos muros terminada; e 2º Por ser a Porta por onde as ovelhas que iam para o sacrifícios entravam.
O Senhor Jesus(Sumo Sacerdote Perfeito) se oferece como sacrifício único e eterno para as suas ovelhas. Ele se consagra como Porta para a salvação das ovelhas: “Eu sou a Porta” (Jo 10.7, 9). Antes as ovelhas entravam por aquela Porta para serem sacrificadas, mas, agora as ovelhas entram por Jesus para serem salvas, alimentadas e receberem a verdadeira vida (vs. 9 a 11). Existiam quatro tanques em que os animais passavam por eles e só assim poderiam ser levados ao templo para o sacrifício no santuário, logo depois havia outro reservatório ou tangue chamado “Tanque de Betesda”, cujo significado é “casa da graça ou de misericórdia”, mencionado apenas no Novo Testamento. Nos templos bíblicos, este local havia sido transformado num centro de peregrinação para pessoas que pretendiam obter cura através dos alegados poderes curativos das suas águas. Nas várias traduções da bíblia, a agitação destas águas era provocada por um anjo que se banhava ali, provocando uma agitação da água, sendo que o primeiro doente a entrar na água ficaria milagrosamente curado, ou seja, eles tinham que estar ali no dia e na hora certa em que “o anjo estivesse com vontade de tomar banho”. Esse era um tanque duplo que tinha cinco pórticos de entrada ou colunatas. Ali ficava um grande número de pessoas doentes e inválidas, com a expectativa de serem curadas milagrosamente pelas águas do tanque (vv.2-3). Era um lugar não muito prazeroso de se visitar, era um lugar onde mendigos, doentes, paralíticos, cegos e coxos se ajuntavam à espera de uma cura. Um lugar de desespero onde muitos jaziam mortos, mesmo ainda tendo vida.Um grande número de proscritos e párias da sociedade ficavam no tanque de Betesda por causa de uma crença de que suas águas eram milagrosas. O versículo 4 nos diz que, “de vez em quando descia um anjo do Senhor e agitava as águas. O primeiro que entrasse no tanque, depois de agitadas as águas, era curado de qualquer doença que tivesse”. Era como se a bênção viesse em contas gotas. Era como se aquelas pessoas vivessem de migalhas. Alguns estudiosos afirmam que na verdade, o que tornava aquela água milagrosa eram algumas substâncias medicinais que ela continha, algo semelhante, por exemplo, às águas da cidade de Araxá, Minas Gerais. Entretanto, de acordo com a fala do paralítico no versículo 7, que disse “Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada”, podemos concluir que realmente acreditava-se no poder milagroso da água mediante a ação do anjo, o que poderia ser fortalecido por curas experimentadas por pessoas mediante da agitação daquelas águas.
O Senhor deixou de passar pela Porta Dourada, pela Porta dos Reis, pela porta da Honra, pela porta da frente, porta principal de entrada ao templo. Deixou de entrar pela Porta Dourada que era uma honra para os judeus, um grande acontecimento, era o auge, era a glória, porque era a mais bonita, a mais larga, a mais formosa, era a porta de honra, em contrapartida, a Porta das Ovelhas era a porta da desonra, da humilhação, da morte. Ninguém gostava de ir ali porque enquanto nos quatro primeiros tanques as ovelhas eram lavadas, em Betesda havia uma multidão morrendo. Quem gostaria de passar por essa porta? Ninguém! Ou melhor, quase ninguém, porque Jesus preferiu. Jesus se desvia da porta principal e vai para a Porta das Ovelhas.
Nessa passagem de Jesus por Betesda, Ele nos traz algumas lições importantes que podem nos ajudar a lidar com as nossas dificuldades e que podem curar nossas feridas. Logo de início, O Senhor nos mostra que cada de um de nós tem uma Porta das Ovelhas. Uma porta por onde ninguém quer passar. Ninguém tem acesso. Onde nós vivemos os nossos dramas, nossas angustias, humilhações. Onde muita coisa morre. Muitas das vezes ela é tão pequena e apertada que ninguém consegue entrar por ela. É quando nos fechamos em nós mesmos. Não queremos nos relacionar com ninguém. Não queremos mais sonhar. É quando perdemos a alegria de viver. O foco da vida. Existem áreas da sua vida que Jesus precisa entrar. Abra agora o seu coração, abra a sua mente. Porque o Senhor quer entrar. O Senhor que fazer morada. O seu milagre está chegando.
É importante que vejamos o nosso estado de saúde. Será que não estamos como aqueles moribundos de Betesda? À espera de um milagre fora da ação do Senhor? O homem a quem Jesus se achega estava ali há 38 anos esperando certo anjo que segundo a tradição movia águas. Jesus chega para aquele homem e mostra claramente que a cura que lhe era necessária não viria por outro mover que não fosse o mover de Deus. Eu fico imaginando o Nosso Senhor Jesus diante daquele homem enfermo que colocava a sua esperança em um mover das águas e o auxilio de alguém para que o levasse até as águas.Aquela situação havia se transformado em um estilo de vida, na realidade ele perdeu a esperança, ele estava preso na sua enfermidade. Quantos de nós se encontramos nessa situação? Necessariamente não precisa ser uma enfermidade, pode ser qualquer problema, qualquer coisa que se transforma em uma prisão.Deus pode mudar a sua situação, basta você aproveitar a oportunidade, veja em João 5:6 "E Jesus, vendo este deitado e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?" Na realidade todos desejam ser libertos, mas muitos levantam questionamento, ainda estão presos, necessita de um chamado de Jesus, veja em João 5:8 "Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma tua cama e anda".
Quando Jesus chega o tempo de migalhas acaba!
Jesus tem uma mesa farta para você!
Esta ali um homem enfermo a 38 anos, paralitico. Sofrendo todos esses anos à espera de uma migalha que não conseguia pegar.


O MINISTÉRIO DE JESUS É DIVIDIDO EM 3 (TRÊS) ANOS.
PRIMEIRO ANO DE INAUGURAÇÃO
SEGUNDO DE POPULARIDADE
TERCEIRO DE OPOSIÇÃO

Aqui nesta passagem Jesus se encontra no seu segundo ano do seu ministério. Jesus estava com (32) trinta e dois anos de idade e aquele homem já estava há (38) trinta e oito anos naquele lugar, ou seja, (6) seis anos antes do Senhor nascer aquele homem já estava a espera de um milagre, de uma resposta de Deus. Clamando aos céus por um milagre. Aquele homem achava que o milagre estava em Betesda, mas, Deus gerou o milagre dele em Bélem.
Eu quero profetizar que o seu milagre vem de onde menos você espera. Quem sabe você esta esperando o seu milagre vir de Betesda, mas eu te digo: O seu milagre está vindo de Belém.
No V. 6 - Jesus ainda nos ensina outra lição acerca da cura. Ele mostra que não é a nossa ação que pode mudar a nossa realidade espiritual, mas única e exclusivamente a sua graça que nos atinge em amor. Não foi o homem quem dirigiu a palavra a Jesus, antes, foi o próprio Mestre que falou a ele e lhe perguntou: “Queres ser curado?” Que pergunta! E não foi a primeira ou a única vez que se Jesus se dirigiu a alguém dessa maneira. Você se lembra de quando Jesus perguntou ao cego Bartimeu “o que você quer que eu lhe faça?” (Marcos 10.51)? Que pergunta óbvia! Por que Jesus fez essa pergunta àquele paralítico? Em sua opinião, qual era a intenção de Jesus com essa pergunta?Toda a ação de transformação e cura que ocorre nas nossas vidas é por conta da graça de Cristo que opera em nós. Por fim, Jesus nos ensina acerca do poder e da autoridade que há em sua Palavra. Jesus simplesmente diz àquele homem: “Levanta-te, toma o teu leito e anda”. Ouvindo isso, imediatamente aquele homem levantou, pegou seus trapos e saiu de Betesda para uma nova vida.
Era necessário que o Senhor despertasse nele novas esperanças, novas perspectivas de vida. A fé seria necessária para receber a cura. O Senhor está dizendo para ele: “Você está disposto a ser restaurado? Você quer voltar a assumir as tarefas e as responsabilidades da vida?
O Jesus que faz essa pergunta não é o Jesus que a mídia e o catolicismo nos apresenta. O Jesus renascentista, o Jesus belo. O Jesus da bíblia é franzino, desprezado pelos homens, calos nas mãos, marcas profundas do deserto em seu rosto. Mas esse Jesus tinha características marcantes.
Primeira – A maneira como Ele olhava para as pessoas.
Segunda - A maneira como Ele falava com as pessoas.
O olhar de cristo penetrava no mais profundo e oculto da alma humana, e quando Ele abriu a sua boca foi para transformar a sua vida. Não pense que Deus te abandonou. Deus está olhando para você. Se você ainda está de pé é porque Cristo tem te sustentado. Se você caiu não te aflijas, não se desespera. Ele vai te levantar (Pv. 24:16).
Jesus faz uma pergunta para o homem: “Queres ser curado?” E é a mesma pergunta que Ele te faz agora:
Queres ser curado? Queres ser restaurado? Queres ser transformado. Essa pergunta seria óbvia se não tivesse apenas uma intenção. Relacionar-se com ele. Relacionar-se com você. Sabe por que Deus te pergunta, porque de antemão Ele já sabe o que você precisa. Ele ter pergunta porque quer se relacionar com você. O nosso Deus é um Deus de relacionamento.
Aquele homem estava esperando pelo anjo para que agitasse as águas e veio o próprio Deus. Ele estava esperando o milagre das águas, mas, veio pelo fogo de Jesus Cristo de Nazaré.
Eu fico imaginando o Nosso Senhor Jesus diante daquele homem enfermo que colocava a sua esperança em um mover das águas e o auxilio de alguém para que o levasse até as águas.Aquela situação havia se transformado em um estilo de vida, na realidade ele perdeu a esperança, ele estava preso na sua enfermidade. Quantos de nós se encontramos nessa situação? Necessariamente não precisa ser uma enfermidade, pode ser qualquer problema, qualquer coisa que se transforma em uma prisão. Deus pode mudar a sua situação, basta você aproveitar a oportunidade, veja em João 5:6 "E Jesus, vendo este deitado e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?" Na realidade todos desejam ser libertos, mas muitos levantam questionamento, ainda estão presos, necessita de um chamado de Jesus, veja em João 5:8 "Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma tua cama e anda".
• A resposta do paralítico a Jesus
A resposta do paralítico a Jesus poderia ser considerada tão surpreendente quanto à pergunta que lhe foi feita. A Jesus, a quem o Espírito Santo havia ungido para curar os doentes e os inválidos (Lucas 4.18-19), ele disse: “Senhor, não tenho ninguém que me ajude a entrar no tanque quando a água é agitada. Enquanto estou tentando entrar, outro chega antes de mim” (v.7). Em sua opinião, o que essa resposta a Jesus revela acerca daquele paralítico? Ele era alguém que conhecia e cria em Jesus? Onde estavam postas as suas expectativas e esperanças quanto à sua cura? Em Jesus Cristo, o ungido de Deus, ou nas águas milagrosas daquele tanque?
• A réplica de Jesus ao paralítico
Diante da resposta alienada e incrédula do paralítico, Jesus lhe disse: “Levante-se! Pegue a sua maca e ande” (v.8). Ao que o homem imediatamente ficou curado, pegou a sua maca e começou a andar (v.9). Jesus, mais uma vez, foi surpreendente! Em sua opinião, por que Jesus curou aquele paralítico, se ele lhe demonstrou incredulidade e desconhecimento a seu respeito, além de expectativa e esperança nas águas daquele tanque? Uma prova de que aquele homem não conhecia Jesus, está no versículo 13, que diz: “O homem curado não tinha idéia de quem ele era, pois Jesus havia desaparecido no meio da multidão”.
• A reação dos judeus à ação do paralítico
O texto bíblico nos diz que essa cura aconteceu em um sábado (v.9). Assim, quando alguns judeus viram aquele homem carregando a sua maca, lhe repreenderam, dizendo: “Hoje é sábado, não lhe é permitido carregar a maca” (v.10). A isso, o paralítico respondeu: “O homem que me curou me disse: ‘Pegue a sua maca e ande’” (v.11). Então, aqueles judeus lhe perguntaram: “Quem é esse homem que lhe mandou pegar a maca e andar?” (v.12), ao que o paralítico não soube dar resposta, pois não conhecia Jesus e ele havia desaparecido no meio da multidão (v.13). Por que aqueles judeus repreenderam o homem que havia sido curado? Qual era o conceito que eles tinham da lei do sábado?
Jesus, por diversas vezes, principalmente, na visão dos líderes dos judeus de sua época, desobedeceu à lei do sábado. Mas seria essa visão correta? Em Marcos 2.23-3.6, justificando o ato de os seus discípulos estarem colhendo espigas no sábado, ou seja, de alguma forma, estarem trabalhando, disse aos fariseus que o confrontaram: “O sábado foi feito por causa do homem e não o homem por causa do sábado” (v.27). Com isso, Jesus quis dizer aos fariseus que o sábado não deveria ser um fardo de restrições aos seres humanos, mais lhes trazendo problemas do que alívio e descanso. O sábado havia sido estabelecido para o bem do homem e não para o seu mal.
• A fala final de Jesus ao homem curado
No final do texto, Jesus, ao encontrar o paralítico no templo, lhe disse: “Olhe, você está curado. Não volte a pecar, para que algo pior não lhe aconteça” (v.14). O que Jesus quis dizer com isso àquele homem? Teria sido a sua paralisia gerada por pecados cometidos por ele?

Quais são as lições que podemos extrair dessa história para as nossas vidas?
1. Deus pode se utilizar de meios alternativos para curar pessoas
Na história que abordamos, as águas do tanque de Betesda, seja pela ação de um anjo ou pela presença de substâncias medicinais, curava quem nelas primeiro entrasse. Como Deus pode curar pessoas? De diversas maneiras. Pode curá-las, por exemplo, através da medicina, de um programa de qualidade de vida (alimentação, atividade física, sono, trabalho, etc), de tratamentos naturais, etc. Devemos, entretanto, estar atentos a um fato. O diabo, nosso adversário, também pode “operar curas”. Quanto a isso, não podemos nos deixar enganar, pois ele se disfarça de anjo de luz (2Coríntios 11.14-15), ou seja, veste as suas más obras com uma aparência de inocência, bondade e pureza para tentar atingir os mais ingênuos.

2. Alguns problemas que enfrentamos podem durar muitos anos
O texto bíblico nos diz que o homem curado foi paralítico durante trinta e oito anos. Meu Deus, quanto tempo de enfermidade e invalidez! Mas foi a experiência de vida daquele homem. Assim como ele, algumas pessoas também poderão enfrentar alguns de seus problemas durante muitos anos de suas vidas. É bom estarmos cientes disso.


3. Jesus se interessa por nós
O texto bíblico nos dá a entender que Jesus ao ver aquele paralítico, procurou saber quem ele era e a sua história. Certamente, Jesus não mudou e continua a agir assim nos dias de hoje. Ele se interessa por cada um de nós e conhece as nossas histórias e necessidades profundamente.


4. Jesus quer saber o que nós queremos dele
Ao perguntar ao homem “você quer ser curado?”, uma pergunta, aparentemente, óbvia, Jesus queria que o homem lhe dissesse o que desejava que lhe fosse feito. Isso nos ensina, mais uma vez, que devemos ser diretos e objetivos em nossos pedidos a Deus, sem constrangimentos e inseguranças.

5. Jesus não depende totalmente da fé humana para realizar milagres
O texto bíblico que estamos abordando, em nenhum momento diz ou dá a entender que aquele homem creu em Jesus para a sua cura. Aliás, pelo contrário. Ele não conhecia Jesus e estava com a fé depositada nas águas milagrosas do tanque de Betesda. Entretanto, apesar disso, pela graça de Deus, ele foi curado. Com isso, Jesus não quis ensinar que a fé não é necessária. A fé é fundamental para se receber os benefícios do Reino de Deus. Todavia, Deus, em sua graça, pode conceder cura mesmo àqueles que não o conhecem e não crêem nele.


6. Há enfermidades que são causadas por pecados cometidos
No final da história, Jesus advertiu o homem curado, dizendo-lhe: “Olhe, você está curado. Não volte a pecar, para que algo pior não lhe aconteça” (v.14). Há enfermidade que nos são causadas por pecados que cometemos. Por quê? Porque quando pecamos, nos afastamos de Deus e nos tornamos vulneráveis ao diabo. Na maioria das vezes nos acomodamos com a nossa situação e achamos que esta tudo bem.

PERORAÇÃO:
As águas se moviam somente em certo tempo, em certos momentos, mas Jesus está disponível a qualquer tempo, em qualquer circunstancia, a toda hora. Quando as águas eram agitadas somente uma pessoa que chagasse primeiro poderia obter a cura, mas Jesus na Sua expiação se deu por toda a humanidade.
O paralítico curado poderia ter pensado: Agora me sinto bem, mas não sei até quando, vou deixar minha cama aqui, caso venha a precisar mais tarde. Jesus então fala para ele “Toma a tua cama e ande”. Para fraseando o Senhor está falando: “Para que você não se lembre mais do seu passado tire a sua cama daqui e leve embora”. Isso é fé.

Apague as cinzas do seu coração, as cinzas que existem dentro de você e deixem as cores acenderem no seu interior. O Senhor enche o seu vazio.

Lembre-se: A única pessoa que te acompanha a vida toda é você mesmo.

Agora vejam as reações do homem depois de todas as bênçãos recebidas através de Jesus nos mostra uma fé fingida.

1- Ele acusa Jesus de cura para não ter problema com os judeus.
2- Não sabe e não se interessa em saber o nome de Jesus.
3- Denúncia Jesus as autoridades.

Alguns verdadeiramente têm um encontro com Jesus, mas resolver segui-lo é outra história.

Se você estava há algum tempo como esse homem à espera de algum milagre à beira do tanque de Betesda, creia que o seu milagre já foi gerado em Belém. Está vindo do próprio Deus para lhe abençoar e o fogo do Espírito de Deus já está presente em sua vida.
Deus abre a maior de todas as portas para você. Infinitamente maior do que a Porta Dourada, prateada, bronzeada.
Jesus disse: “Aquele, porém que entra pela porta é o pastor das ovelhas” (Jo. 10:2).
“A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome as suas ovelhas, e as traz para fora” (Jo. 10:3).
“E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz” (Jo. 10:4).
“Em verdade, em verdade voz digo que EU SOU A PORTA DAS OVELHAS” (Jo. 10:7).
“Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens” (Jo. 10:9).

JESUS É A PORTA DA VIDA, DA ESPERANÇA, DA PROVISÃO, DA CURA, DA LIBERTAÇÃO E QUE NOS LEVA AOS PASTOS VERDES.
Entre por essa porta e você verá a glória de Deus. Levante os teus olhos e você verá o sobrenatural de Deus, pois, quem tem promessa vence o mal.

A preocupação olha em volta, a tristeza olha para trás, a fé olha para cima.

Mensagem pregada na CADJARP

em 15/11/2010

terça-feira, 30 de novembro de 2010



MARCAS DA PROMESSA. COMO CONHECER O TEMPO DE DEUS PARA A NOSSA VIDA.
(Js. 14:6-10; Is. 26:12;Nm. 13:1-14;12;30; Gn. 15:4-6)


Somos pessoas que precisamos de motivação; Ninguém é tão auto-suficiente que não precise de um “empurrãozinho”, de vez em quando somos desafiados em nossa existência a sermos algo de útil na nossa família e na sociedade em que vivemos. Somos estimulados em toda a nossa existência a focarmos nossa vida no eu ou no máximo no nosso pequeno espaço de existência (família, igreja ou grupo social) e não numa visão macro que é a sociedade num todo. Construímos para nós mesmo e não para a sociedade. A visão do Senhor Jesus era macro, Suas promessas não foram somente para um grupo seleto de pessoas, para os judeus ou apenas para a sua família foram para toda a sociedade.
Muitas vezes, enfeitamos nossas paredes com quadros ou dizeres que nos estimulem a viver; Cada um tem o seu modo de dirigir a sua vida. Algumas pessoas estão voltadas para o seu esporte favorito, outras para as artes e assim por diante, segundo um pv. chinês "podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos".
De acordo com o nosso gosto pela vida, colocamos nossos estímulos diante de nós. Fico pensando, como uma pessoa com deficiência visual pode ser estimulada, como ela procederá para estimular a sua vida no seu dia a dia. Li certa vez sobre um deficiente visual que mandou colocar na parede do seu quarto um quadro onde estava escrito. “...lembrem-se que Eu estarei com vocês todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt. 18:20), embaixo dessa palavra ele escreveu o nome de JESUS. Não foi nada difícil para ele memorizar esta mensagem estimuladora para vida, pois, ali estava gravada uma promessa de JESUS CRISTO, o filho de Deus. Um deficiente visual não pode ver uma figura de um jogador de futebol, não pode ver um pôster do seu artista predileto, mas pode apropriar-se das promessas do Senhor, cada vez que colocava os seus dedos naquele quadro na parede, aquela promessa era projetada em sua imaginação, a presença de Jesus o amigo de sempre, sempre fiel lhe dava forças se colocando ao seu lado para estar sempre com ele.
As promessas de Jesus se aplicam em todos os capítulos da nossa vida para aqueles que confiam nÊle. Esta promessa não tem limites nem esta encarcerada em qualquer igreja ou templo. Quando você for fazer a sua escolha de vida, o Senhor estará sempre com você, nos momentos de alegrias, de tristezas.
Jesus é o “empurrãozinho” que todos precisam para encontrar a motivação certa para viver e para dar sentido à vida. O que temos colocado diante de nós para dar-nos estímulos aos nossos atos: figuras mortas, ídolos de papel e sem poderes, ou promessas concretas de um Deus vivo que se importa conosco? O que o texto está nos ensinado é que: Calebe é um homem da história porque foi um homem de fé.

Quando tinha 40 anos, foi escolhido para representar sua tribo Judá para espiar a terra de Canaã (Nm. 13:1-14). Quando Deus fala devemos acreditar nele sem reservas e agir conforme a Sua Palavra e vontade.
O que Deus quer nos ensinar com o tempo de espera, para que algo que estejamos buscando venha a se realizar?
Primeiramente o que significa tempo? Sucessão de anos, dias, horas. Envolve noção de passado, presente e futuro. Momento ou ocasião apropriada para que uma coisa se realize. Ec. 3:1 diz que: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu”.
O que é o tempo de Deus e do homem?
Segundo os gregos existem duas palavras para definir a palavra “tempo”.
Uma é CHRONOS que significa o momento em geral que algo é feito. Ex. que horas são?
A outra é KAIROS, que é o tempo estratégico, ou tempo certo; o momento em que algo deve ser feito. Ex. Uma porta de oportunidade é o tempo Kairos.
Podemos então definir como Chronos o tempo do agir humano e Kairos o tempo do agir de Deus. O mundo espiritual trabalho no Kairos.
Calebe representa cada um de nós. Recebemos a nossa promessa (seja ela de restauração de casamento, de cura, de doença, do sucesso financeiro e profissional, de libertação e conversão de um ente querido, um chamado para fazer a obra de Deus) saímos para espiar a nossa terra, porém, a promessa de Deus em nossa vida dependerá de como nós lidaremos com as circunstâncias adversas que nos envolvem, como barreiras que se levantam, o tempo que estamos passando como as perseguições e tantas outras coisas que acontecem em nossa vida que nos fazem perder a visão da promessa e olharmos para os gigantes espirituais em vez daquele que é poderoso para cumprir a promessa. Celebe tinha 40 anos quando recebeu a promessa (Nm. 14:24). E elas demoraram 45 anos para se cumprirem em sua vida. Calebe tinha fé e visão

Vs. 6 – VOCÊ NÃO PODE PERDER A VISÃO DA PROMESSA:
Você tem que ficar focado na promessa. Deus é restituidor de sonhos, Satanás está a posto tentando te fazer desistir dos seus sonhos. Ande com pessoas que vão te colocar para cima. Ande com pessoas que vão te levar a vitória, não se esconda, construa grupos de incentivos, jogue fora amizades que vão te levar para baixo. Não fique só, um filósofo falou certa vez que: "Você só se sente só porque construiu muros em vez de pontes". Invista nos seus sonhos, Deus vai estar junto com você.

Vs. 7,8 – TODA PROMESSA PASSA PELO TESTE DO TEMPO. Calebe sabia que o tempo não impediria o cumprimento da promessa:
O grande inimigo das nossas promessas é a ansiedade. Você não tem que ver, você só precisa crê. Satanás tenta retirar a nossa perspectiva de futuro, é Deus que garante o teu futuro, não deixe as Palavras humanas te abaterem. Ele não permitiu que o tempo azedasse a esperança de Calebe no cumprimento da promessa.

Vs. 9 – VOCÊ TEM QUE PERSEVERAR EM SEGUIR AO SENHOR:
O Senhor Jesus é maior do que as suas promessas. Maior do que as suas bênçãos, quando eu sigo a Deus as bênçãos me acompanham, ou seja, elas me alcançam. A sua adversidade de hoje pode ser a sua bênção de amanhã. Deus esta noite está ressuscitando sonhos. Calebe sabia que não morreria antes de ver o cumprimento da promessa. Passe o tempo que passar, no tempo certo a promessa iria se cumprir.

Vs. 10,11 – COMO VOCÊ ESTÁ DEPOIS DE TODOS ESSES TEMPOS DE ESPERA:
Calebe estava dizendo que ele estava forte. Calebe não envelheceu por dentro. Quantas pessoas estão envelhecendo por dentro. Já não sentem o mesmo calor, a mesma vibração, o mesmo entusiasmo, a mesma coragem. Quem serve a Deus não envelhece por dentro! Um homem não deixa de ser guerreiro quando envelhece, mas quando perde seus sonhos e a sua visão.


Vs. 12 – CALEBE SABIA QUE SUA FORÇA ESTAVA EM DEUS E NÃO NOS SEUS BRAÇOS:
Calebe sabia que era Deus que gerenciava a sua vida. Era Deus quem o dava força para derrotar os seus adversários.


Nm. 14:24 - CALEBE ERA UM HOMEM DE PRINCÍPIOS:
Ele ouvia Moisés, obedecia e respeitava e da mesma forma agiu com Josué. Princípios existem para serem obedecidos e não questionados. “Princípios são inegociáveis”.

PERORAÇÃO:
O nosso Deus é um Deus de promessas, quando Ele fala, Ele cumpre. Jr. 1:12 “Disse-me o Senhor: viste bem: porque eu velo pela minha palavra par cumprir”, se você tem promessas de Deus, aguarde o tempo do Senhor, não seja precipitado e não queira tomar a frente do Senhor. Deixe Deus trabalhar. Deixe Deus agir na sua vida
O Senhor Jesus nos disse que no mundo nós teríamos aflições, mas que tivéssemos bom ânimo por que Ele venceu o mundo. E se Ele venceu o mundo, você também vencerá porque as aflições da vida não vão te derrubar. Jesus está dizendo que você estará fortalecido para lutar contra aqueles que querem te derrubar, você terá força para lutar, força para guerrear. Ele disse que se estivéssemos nele nós seríamos mais do que vencedores, não apenas vencedores, mas sim, mais do que vencedores. Cristo nos leva a vitória, Cristo nos alimenta, Sua Palavra nos consola e nos leva para a vitória. Paulo disse que tudo podia naquele que o fortalecia, mas, no contexto anterior, Paulo nos mostra os sofrimentos que ele teve na sua vida. O Senhor Jesus deu força para que Paulo pudesse transpor as barreiras da vida existencial, as barreiras da sociedade egoísta, mundana e iníqua. Paulo sabia dos perigos que ele enfrentava, mas, em todas as suas lutas ele sabia que o Senhor estava lhe dando força. Ele disse já não sou eu que vivo, mas Cristo vive em mim, Paulo está dizendo que o Senhor toma parte de 100% da sua vida, O Senhor dá diretriz a sua existência. Ele era totalmente dependente de Cristo. Cristo permeava a sua vida, não de uma maneira efêmera, mas, de maneira constante.
Quando Jesus decide te dar a vitória, não adianta o inferno se levantar. Não há nada que possa te impedir de alcançar a tua vitória. Ele disse meu jovem, minha jovem que estaria com vocês até a consumação dos séculos, ou seja, até o fim dos tempos, o Senhor nos fez uma promessa, viva uma vida de excelência para o Senhor, não deixe que o mundo os domine. Persevere no Senhor, clame ao Senhor, quando você achar que não tem mais solução, ore ao Senhor, fale com Ele, diga para Ele. Senhor eu te amo, Senhor eu te enalteço, Senhor eu te adoro. Viva uma vida de exaltação para Cristo, com Cristo em Cristo. Com riqueza, ore ao Senhor. Na pobreza, ore ao Senhor. Com saúde, ore ao Senhor. Empregado, ore ao Senhor, desempregado ore ao Senhor. Ore, ore, ore. Mas pastor eu estou morrendo. Morra mas continue a orar com o Senhor. Porque ele nos prometeu que quando “Ele viesse buscar a sua igreja os mortos se levantarão primeiro”.
Você e eu podemos confiar nas promessas de Deus até o fim de nossos dias. Mesmo quando a nossa vida terminar as promessas de Deus estarão vivas para as futuras gerações até que Ele venha. Calebe fez a diferença no meio da sua geração.

Eu termino lembrando de uma das maiores promessas feita por Deus a um de seus patriarcas mais fervoroso, estamos falando de Abraão, em Gn. 15:4-6 a bíblia nos conta que: "Então o Senhor conduziu Abraão para fora da sua tenda e disse-lhe: Olha para os céus e conta as estrelas, se é que as pode contar. Assim será a sua posteridade. E ele creu e isso lhe foi imputado como justiça".

"Em qualquer parte da terra, um homem estará sempre plantando, recriando a vida, recomeçando do nada" Cora Coralina, poetisa e escritora brasileira

Mensagem pregada na confraternização da juventude da UMACADJARP

Em 11/12/2010 no templo sede da CADJARP.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

O ESPINHEIRO (Jz. 9:7-15)


EXÓRDIO:

Deus se revelou de 3 formas aos humanos: Pela Lei dada a Israel, através das coisas criadas e por meio de Jesus. Mas o filho é a revelação máxima. A lei embora seja justa e boa não justifica ninguém, tanto que vivemos embaixo da graça e somos justificados unicamente por ela. A natureza e todas as coisas criadas serão, em algum tempo no futuro, destruídas pelo fogo e o Senhor vai criar novos céus e nova terra; mas o filho é eterno e seu sacrifício perfeito e insuperável.
Jesus cristo é o firme fundamento onde apoiamos a nossa fé. Precisamos conhecê-lo, saber quem Ele é, o que Ele fez e o que Ensinou.
Jesus veio para a terra para anunciar e estabelecer o Reino de Deus. Este era o centro de sua pregação. Após ressuscitar Ele foi exaltado e está reinando soberano sobre todo o universo. O evangelho diz ao homem que se arrependa e se coloque sob este governo, pondo fim a sua independência e rebeldia.
Ele form
ou discípulos. A igreja do Senhor Jesus é composta de discípulos. Jesus sempre teve a multidão ao seu redor, mas, Ele não se iludia com a Multidão. Ele dedicou-se a um grupo pequeno de pessoas, próximas a Ele, que aparentemente estavam dispostas a tudo por Êle.
Para que uma pessoa entre no reino de Deus é necessário que algumas coisas aconteçam na sua vida. Por serem coisas fundamentais, necessárias e que estão no início da vida cristã, chamamos a “PORTA DO REINO”.
Desde antes da fundação do mundo Deus tem um propósito em seu coração, aquilo que motivou a criar todas as coisas. Nós somos parte desse propósito e cooperadores do seu desenvolvimento.
Jesus não disse que veio para trazer a verdade. Ele disse “Eu sou a verdade”. Jesus não veio trazer simplesmente uma religião, nem uma filosofia e nem um monte de regras como código de conduta.
Jesus veio trazer Ele mesmo. Ele é a ressurreição e a vida, para receber esta vida temos que conhecê-lo; quem Ele é, de onde Ele veio, o que Ele falou, o que Ele fez, onde Ele está.
O texto em apreço é uma estória (conto, fábula, novela ou ficção) exposição romanceada de fatos distintos da história. Que segue aqui transcrito é chamado de Apólogo (ensinamento moral sob a forma de fábula) de Jotão. O espírito do texto é claro. Tão claro que prescinde da própria história que o antecede. Ou seja: em si mesmo é uma parábola de aplicação universal, sempre que as circunstâncias se repetem. Ele fala de como os seres qualificados, quase sempre, evadem-se de suas responsabilidades, de tal modo que é o espinheiro quem domina sobre a vida.
Ouvi-m
e a mim, cidadãos de Siquém, para que Deus vos ouça a vós outros. Foram uma vez as árvores a ungir para si um rei; e disseram à Oliveira: Reina tu sobre nós. Mas a oliveira lhes respondeu: Deixaria eu o meu azeite, que Deus e os homens em mim prezam, para ir balouçar sobre as árvores? Então disseram as árvores à Figueira: Vem tu, e reina sobre nós. Mas a figueira lhes respondeu: Deixaria eu a minha doçura, o meu bom fruto, para ir balouçar sobre as árvores? Disseram então as árvores à Videira: Vem tu, e reina sobre nós. Mas a videira lhes respondeu: Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, para ir balouçar sobre as árvores? Então todas as árvores disseram ao Espinheiro: Vem tu, e reina sobre nós.
O Espinheiro aceitou a tarefa, pois, ele nunca perde tal oportunidade. Afinal, se não houver “limpeza”, a vocação dos espinheiros é abraçar a terra toda, e engolir as plantas, as quais passarão a existir contidas pelo abraço vegetal e pontiagudo do Espinheiro.
A Oliveira, a Figueira e a Videira não reclamaram desse reino na hora da decisão. As demais árvores da floresta também não. Porém, a tirania do Espinheiro se manifestou pela sua própria natureza.
O Espinheiro machuca mesmo quando não quer machucar: ele abraça com espinhos. Pode-se colher uvas de Espinheiros e figos de Abrolhos?
No meio cristão encontro muitas pessoas, cristãos, pastores e líderes frustrados. Sentem-se mal com a dominação da fé que hoje é determinada pelo Espinheiro. Mas lembro de quando os que se angustiavam pelo destino das Árvores da Floresta procuraram a Oliveira, com sua unção de azeite; buscaram a Figueira, com sua
unção de doçura; e pediram o socorro da Videira, com sua unção de alegria — mas todas elas acharam que o povo saberia a diferença entre o Espinheiro e as árvores frutíferas.
Ledo engano. O povo só sabe a diferença quando o abraço do Espinheiro já se fez poder.

Em Jo. 14:14,15, o Senhor Jesus diz que “Se me pedirdes alguma coisa em me nome, eu o farei, se me amas guardareis os meus mandamentos”. Ele estava estendendo o seu poder a um pequeno grupo que iria assumir a responsabilidade do Reino de Deus.
Espere grandes coisas do seu Deus, empreenda grandes coisas para Ele. O Senhor nos capacita para fazer aquilo que Ele deseja que façamos.
Eu li em um periódico de grande circulação aqui no Brasil que nos E.U.A existem alguns americanos de meia idade que tentam procurar carros ou outros bens materiais que em algum momento da sua vida foram perdidos. Contratam especialistas e quando não encontram gastam somas de dinheiro para fazerem réplicas só para terem aqueles objetos tidos por eles de grande valor.
Em Lc. 15 As pessoas desprezadas pela sociedade vieram ouvir Jesus, mas alguns líderes religiosos reclamaram dizendo: “Este recebe pecadores e ainda come com eles”.
Jesus então conta para eles três parábolas: ovelha perdida, a dracma perdida e o filho pródigo. Cada uma delas retrata a angústia e a alegria de reencontrar algo de grande valor. Em cada história vemos o pai amoroso que se alegra com a alma perdida que é resgatada.
Que o Senhor desperte as Oliveiras de sua arrogância, as Figueiras de seu narcisismo, e as Videiras de sua alegria auto - centrada felicidade.
Que reinem sobre nós os frutos da unção, da doçura e da alegria.
Que o Espinheiro volte para o seu lugar. Salva o teu povo, ó Senhor! Nele, em Quem sei que na hora o Espinheiro será de todo removido pela Sua própria mão.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

SOCORRE-TE A TI MESMO. O FUTURO É A MINHA PROMESSA (Mt. 9:35)


QUEM SUSTENTA O VÍCIO, ENCARCERA-SE NELE.
Eu estava lendo um dia desses a revista brasileira de psiquiatria, revista essa de um professor da UNICAMP assinada por Paulo Dalgalarrombo e outros, cujo titulo era a RELIGIAO E O USO DE DROGAS POR ADOLESCENTES.
Ele e a sua equipe verificaram que o consumo de álcool e drogas por adolescentes, protestantes históricos e pentecostais – mais conservadores e que condenam de forma veemente o uso de drogas de forma mais clara e explícita, foi significativamente menor do que pelos católicos e espíritas de formação mais liberais, entre os quais a condenação não e tão enfatizada.
Como explicar o maior consumo de drogas entre adolescentes católicos e espíritas do que entre protestantes e pentecostais? Será que proibir dá melhores resultados do que educar? Será que proibir com respaldo na bíblia é mais eficiente do que conscientizar com base nos ensinos evangélicos e doutrinários?
Seguramente educar não produz resultados inferiores aos que se obtém com a proibição. A proibição é um freio que funciona enquanto a pessoa permanece vinculada fortemente a igreja a que está ligada. Quando dela se afasta, costuma fazer tudo o que está reprimido. Quem foi educado costuma agir diferente. Mesmo quando se desliga da instituição religiosa onde foi educado, ou seja, põe em pratica o que aprendeu. Isso porque, em princípio, aprende a desenvolver hábitos mais salutares.
O quadro diante dos meus olhos é dantesco, feriu a minha sensibilidade e despertou-me o ensejo da reflexão. Uma criança caída em uma calcada aparentemente desmaiada inerte pelo uso excessivo de droga, provavelmente crack, a pedra que mata.
Pernas estiradas, braços jogados para os lados, uma camisa com tonalidade azul e dizeres em inglês. Os pés sujos e algumas pulseiras no pulso direito completam a imagem. O menino, um mulato com cerca de nove anos, permanece estirado no chão. As pessoas passam por ele e algumas são despertadas por um sentimento de pena e compaixão, outras, de indignação e a maioria de descaso. A impressão que fica é que, em nenhum momento passa pela mente dessas pessoas que aquele garoto estendido ali na calcada, poderia ser o seu filho de hoje, ou o seu filho de amanhã. Se esquecem que os nossos filhos também terão as mesmas necessidades dessa criança e que ela viverá no mesmo contexto social dela e que o meio que afetou essa criança pode ou poderá afetar o seu filho.
A maioria das pessoas passam despreocupadas; preocupadas apenas com os seus afazeres hodiernos, preocupadas em chegar em casa e dormir para voltar amanhã a sua rotina habitual.
Esquecemo-nos que a responsabilidade dessas mazelas existentes nessa sociedade capitalista de sobrevivência, sobrevive às custas da derrota dos outros e do descaso com a vida alheia. A fonte geradora pode não ter sido você, mas, você sobrevive e ganha ônus dos avanços dessa sociedade marginalizadora e assassina.
Eu e você fazemos parte disso que chamamos de sociedade desenvolvida, e não adianta dizer para mim que eu sou culpado também, pois, eu tenho consciência disso. A sociedade atual além das doenças como câncer, o HIV e outras menos faladas, mas, não menos letais; produz também doenças sociais como: a insensibilidade, as paranóias, as fobias, os complexos de inferioridade, a bipolaridade, as psicóticas e outras.
Eu gostaria de fazer apenas uma pergunta a todos. De quem é a culpa pela vida desses meninos e meninas que se encontram estirados nas calcadas?
Seriam dos pais, pois, uma família estruturada no amor está na base da formação de qualquer criança desde o ventre materno, passando pelo homem maduro e gerando nele uma auto estima fortalecida.
Seriam dos homens que não sabem se é melhor reprimir ou ensinar. Que separam numerários enormes para o crescimento dos seus mundos materiais, e que investem em material humano pensando em obter lucros e não em salvarguardar vidas. Ou da sociedade que formou uma geração alienada e alienadora. Insensível aos males do momento, e que não está nem aí para o que se passa com os seus; desde que não me alcance eu vou vivendo a vida. Deixando á vida me levar como diz a música. Uma sociedade extremamente individualista. Como estamos vendo muitas perguntas ainda hioje se encontram sem respostas.
Com a convicção de que a educação e o recurso mais eficiente na prevenção do uso das drogas. Onde estariam os desacertos?
- O LAR E O GRANDE FORMADOR DO CARÁTER DO EDUCANDO.
- Estamos cuidando da educação de nossos filhos de acordo com o compromisso assumido perante Deus. Estamos tocando no assunto das drogas com freqüência necessária? O homem foi criado para ser educado e não oprimido, em todos os tempos Deus se preocupou com os ensinamentos de um povo para que ele se tornasse uma grande nação não só em quantidade, mas, também em qualidade. Disse o Senhor a Abraão: “Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para a terra que te mostrarei; de ti farei uma grande nação, e te abençoarei, e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção! Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias da terra”.
O Senhor tinha uma preocupação de criar uma nova família, uma família dentro dos padrões cristãos de ensinamentos éticos e morais.
Não adianta nos preocuparmos apenas em curas divinas se o interior está corrompido, as curas de nossos males começam pelas curas de nossas मेंतेस.
Cura a catarata e a conjuntivite, mas corrige a visão espiritual de teus olhos. Defende-te contra a surdez, entretanto retifica o teu modo de registrar as vozes e solicitações variadas que te procuram.
Medica a arritnia e a dispnéia, contudo, não entregues o coração a impulsividade arrasadora.
Combate a neurastenia e o esgotamento, no entanto, cuida de reajustar as emoções e tendências.
Persegue a gastralgia, mas, educa teus apetites a mesa.
Melhora as condições do sangue, todavia, não o sobrecarregue com os resíduos de prazeres inferiores.
Guerreia a hepatite, entretanto, livra o fígado dos excessos em que comprazes.
Remova os perigos da uremia, contudo, não sufoques os rins com os venenos de taças brilhantes.
Desloca o reumatismo dos membros, reparando, porém, o que fazes com teus pés, braços e mãos.
Sana os desacertos cerebrais que te ameaçam, todavia, aprende a guardar a mente no idealismo superior e nos atos nobres.
Consagra-te a própria cura, mas não esqueças a pregação do Reino Divino aos teus órgãos. Eles são vivos e educáveis. Sem que teu pensamento se purifique e sem que a tua vontade comande o barco do organismo para o bem, a intervenção dos remédios humanos não passara de medida em transito para a inutilidade.
PERORACÃO:
O texto em tela nos mostra as atividades de Jesus em seu ministério, na ordem: ensino, pregação e cura. Veja a ordem: 1- vem o ensino, para sermos educado dentro dos padrões da verdade. Não existe mudança de comportamento sem educação. É a mudança de comportamento um dos pilares da educação, ou seja, você confronta o certo e o errado, você tem acesso a outras tendências, a outras maneiras, a outras formas de conduta e de comportamento. Ensino é o confronto de idéias.
2- Primeiro Jesus ensinava e depois Ele pregava o Reino de Deus. Por mais que o reino de Deus para alguns seja exotérico e metafísico. Ele o reino de Deus acontece na pessoa do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo; quer encontrar o reino de Deus, encontre os ensinamentos contidos na bíblia sagrada. Reino de Deus, presença de Deus são a mesma coisa. Jesus é o rei desse reino de esperança, de igualdade, de amor, de um futuro de mudança de atitude. Jesus nos apresenta um reino de esperança de uma sociedade igualitária e responsável, onde todos são responsáveis por todos.
Primeiro Jesus ensinava, depois pregava o reino de Deus e terceiro curava. Você só é curado se passar por todos esses degraus. Sua cura espiritual acontece a partir do momento em que você e eu temos primeiro a noção dos nossos erros, a partir do confrontamento de atitudes. Você só é curado se tiver noção da sua doença quer seja espiritual, quer seja material. Quando você toma noção da sua doença, Jesus lhe envia o remédio, remédio esse que é o reino de Deus. Na bula do reino de Deus existe 66 componentes cada um com um princípio ativo diferente que vaia atuar internalizando, inoculando, introjetando na sua alma respostas para as suas doenças que vão te levar a cura.
Mas o menino ainda se encontra na rua desmaiado, passando necessidades. Necessidades essa em que ele busca encontrar nas drogas, no cigarro, no álcool.
Jesus nos alertou que quando, estivéssemos ajudando a essas pessoas, que sentem fome, sede, frio, falta de amor, tristeza estaríamos dando a Ele.
Enquanto essa insensibilidade perdurar haverá uma probabilidade muito grande dessas crianças continuarem nas ruas. Pois nas ruas nunca haverá o esquecimento de nossos filhos serem educados, pois, ali existe o reino das trevas e eles nunca esquecem da “educação” de nossos filhos.
Talvez um dia você irá encontrar o seu filho jogado estendido na rua e aí meu amado, já será tarde demais.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

VOCÊ É FÃ OU DISCÍPULO DE JESUS. Jo. 6.55.60-69


O homem está chamado a amar e a dialogar com Deus e a viver para Ele.

DISCIPLINA é uma palavra que tem a mesma etilmologia da palavra "discípulo", que significa "aquele que segue".

AUTO-DISCIPLINA é a habilidade de aderir a ações, pensamentos e comportamentos que resultem em crescimento pessoal. Sem disciplina, você nunca irá a lugar nenhum. Uma pessoa sem disciplina pode ter um potencial enorme, mas terá dificuldade de atingir seus objetivos.

4 ELEMENTOS NECESSÁRIOS PARA DESENVOLVER A AUTO-DISCIPLINA:

1- MOTIVAÇÃO.

2-OBJETIVO.

3-AUTO-CONTROLE.

4- PERSISTÊNCIA.

A primeira fase do ministério de Jesus na Galiléia, foi um sucesso. Logo que expulsou aquele demônio, na Sinagoga de Cafarnaum, sua fama se espalhou por toda a região. São lugares muito próximos de onde o Senhor fez o Sermão das Bem-aventuranças, multiplicou os pães, promoveu uma pesca milagrosa, chamou os apóstolos, fez curas, sinais e prodígios. Ele tinha muita fama e muitos fãs. Mas sua mensagem e missão não se resumiam em resolver os problemas do “aqui e agora”.
Logo Cristo percebeu que o Reino de Deus não poderia ser instaurado com admiradores. O fã, no fundo, é um fanático! Eles não queriam um Messias divino. Queriam apenas um ídolo humano que resolvesse os problemas econômicos, sociais e políticos daquela região. Jesus tinha uma missão maior que incluía a cruz, o amor, a doação, a salvação do mundo inteiro. Para isso Ele não escolheu fãs, escolheu seguidores, discípulos.
Quando suas palavras começaram a falar de cruz ao invés de luz; de pão da vida, ao invés de pão da terra, os fãs foram embora. Ele reuniu seu grupo mais íntimo de amigos, os discípulos, e disse: vocês também querem ir embora? Pedro tomou a palavra e disse: “A quem iríamos nós, se só Tu tens palavras de vida eterna?” Acertou em cheio. O verdadeiro discípulo é aquele que vê – para além do horizonte – as palavras de vida eterna que Jesus veio trazer. Onde estavam os fãs na hora da cruz? Eles desaparecem depois do “show”. Querem apenas e tão-somente consumir seus ídolos.
Hoje, infelizmente, também há muitos fãs de padre, de bandas católicas e até de Jesus. São um pouco violentos. Exigem um milagre, um sucesso. São egoístas. Não são discípulos. São agressivos. Preferem um show a uma missa, um autógrafo a uma confissão. Não chegarão aos pés da cruz. Fã pára no caminho, arranha seu ídolo, grita histericamente, transforma religião em espetáculo ou em entretenimento. Fã é violento. Discípulo é sereno. Fã não perdoa, discípulo sim.
O fã ouve seu mestre, mas não o escuta. Ele parece hipnotizado por seu ídolo. Fã só pode ser fã se não pensar. Se começar a raciocinar já caminha na direção do discipulado, ou vai embora, frustrado. Se você é fã de um padre, cuidado! Jesus não precisa de fãs, precisa de seguidores.


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

UMA COISA AINDA TE FALTA (Sl. 23:6; Mc.10:17-23; 10:21; Ec. 12:1)


Esse texto tem uma mensagem profunda e, um aviso para o seu coração nesta hora.

EXÓRDIO:

Normalmente temos muitas dificuldades para sentir a bondade de Deus quando estamos no meio das tribulações. Diz o salmo 23:6 que: "Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida". tratasse talvez do salmo mais conhecido no que tange a confiança que devemos ter no Senhor. Deus usa uma metáfora entre as ovelhas e os seus pastores, relação está de fidúcia, ou seja, confiança.

Deus está nos dizendo que primeiramente Ele é bom, depois que Ele é misericordioso e depois que Ele é fiel.
O salmista Davi diz que: assim como as ovelhas com os seus pastores, ele se tranquiliza na certeza de uma vida eterna com Deus. Jo. 14:23 diz que: "Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viveremos e faremos nele morada", no salmo 136 diz que devemos "Render graças ao Senhor, porque Ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre". Estamos de frente com três atributos do Senhor. Deus é bom. Deus é misericordioso e é fiel.
Quantos problemas temos enfrentado por haver faltado apenas uma coisa para que as nossas bênçãos sejam colocados em nossas mãos. Quantos projetos se perderam porque deixamos de tomar uma decisão na hora certa, no momento certo. Tomamos decisões erradas quando eles se apresentam e, na maioria das vezes essas oportunidades não se apresentam ou demoram a cair de novo em nossas mãos.
Jesus descobriu o problema daquele jovem, faltava-lhe realmente uma coisa. Aquele jovem chamou- O de mestre, mas, não quis ser seu discípulo. Ele conhecia os mandamentos de Deus, mas, não conhecia o Deus dos mandamentos. Ele desprezou o tesouro no céu por causa dos tesouros da terra. Ele foi o Único caso em toda a bíblia sagrada em que saiu triste da presença de Deus.

A - ALGUMAS COISAS QUE PODEM ESTAR FALTANDO:


- Talvez uma coisa em que nós não sabemos (Jo. 9:25). Ele retrucou: "Se é pecador, não sei; uma coisa sei: eu era cego e agora vejo". Pedro sabia quem era Jesus. porém, o cego não.

- Talvez lhe falte uma coisa que para você é insignificante (Lc. 10:42). "Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada".

PONTOS DE DESTAQUE NA VIDA DESTE HOMEM:

I- ERA JOVEM - Tinha saúde, vigor, vida, força e amigos.

II - ERA RICO - Possuía tudo o que o mundo podia lhe oferecer: Casa, bens, conforto, luxo, banquetes, festa, jóias, propriedades, diversão e dinheiro.

III- ERA PROEMINENTE - Era um homem de posição. Possuía status, fama e glória. Apesar de ser jovem, já era rico, era um prodígio. Era um fenômeno. Era um líder, famoso, influente e, talvez fosse um oficial da sinagoga. Moço de elevada reputação e grande pretígio social.

IV- ERA ÉTICO - Ele era portador de excelentes predicados morais. Bom comportamento. Fina educação, sincero e íntegro. Não vivia em orgias, não era adúltero, não era desonesto. Vivia uma vida honrada, pura, dentro dos mais rígidos padrões morais. Possuía uma excelente conduta exterior. Era um homem virtuoso.

V - ERA INSATISFEITO COM A SUA VIDA - "...Que me falta ainda?". Ele tinha tudo para ser feliz. Possuía tudo o que o mundo podia lhe oferecer, mas, seu coração continuava vazio. "Deus pôs a eternidade no coração do homem...". Seu dinheiro, sua posição não preenchem o vazio da sua alma. Ela provavelmente estava cansado daquela vida. Nada satisfazia seus anseios, sua vida era uma busca insensante e constante pela sua satisfação pessoal. Ser correto não bastava, ser religioso não preenchia os seus espaços existenciais.

VI- ERA SEDENTO DE SALVAÇÃO- Aquele jovem tinha sede de Deus. Tinha sede da vida eterna, ele estava ansioso por galga-la. Ele sabia que ainda não possuía a vida eterna. Ele não queria enganar a si mesmo. Ele queria ser salvo.

VII - ELE FOI A FONTE CERTA, À PESSOA CERTA: JESUS - Ele foi a Jesus. Ele buscou o único que podia salvá-lo. Ele já tinha ouvido falar de Jesus, sabia que Ele era a salvação para a sua vida, a resposta para o seu vazio. Ele não busca atalhos, ele vai direto ter com Jesus.

VII- ELE FOI A JESUS COM PRESSA - Muitos querem ser salvos, mas, deixam para amanhã, protelam, adiam e vão direto para o inferno. Esse moço corre, tem pressa. Ele não aquenta mais esperar.

IX - ELE FOI A JESUS DE FORMA REVERENTE - Ele se humilhou, se ajoelhou, se quebrantou. Ele foi com a a titude certa.

X - ELE FOI AMADO POR JESUS - E JESUS O AMOU - Jesus viu o conflito do seu coração. Ele diagnosticou o seu vazio, viu a sede de salvação. Jesus viu o seu desespero existencial.

B - ENGANOS FATAIS DESSE HOMEM:

I - VER A JESUS COMO MESTRE E NÃO COMO DEUS - Para ser salvo não basta apenas seguir os ensinos de um mestre, é preciso se curvar diante de Deus. É preciso saber que Jesus é Deus.

II - VER A SALVAÇÃO COMO MÉRITO E NÃO COMO PRESENTE DA GRAÇA DE DEUS - Seu desejo de ter a vida eterna era sincero, mas, estava enganado quanto à maneira de alcançá-la: queria obter a salvação através da obediência externa aos mandamentos. Todas as religiões do mundo ensinam que o homem precisa merecer a salvação.

III - NÃO TEM CONSCIÊNCIA DE QUE É PECADOR - Não amou a Deus sobre todas as coisas = era idólatro. Seu deus era o dinheiro. Fez-se escravo do seus bens. Amava mais seu dinheiro do que a vida eterna. Seu pecado não era ser rico, possuir muito dinheiro, mas, sim ser possuído pelo dinheiro.

- NÃO AMOU O PRÓXIMO COMO A SI MESMO - Vivia egoísticamente para si. Amava mais as coisas do que as pessoas. Era míope espiritual. Tinha um alto conceito de si mesmo.

IV - O JOVEM REJEITA JESUS, RENUNCIA A VIDA ETERNA E SAI TRISTE - Ele queria a vida eterna, mas, amava mais o seu dinheiro. Preferiu itr para o inferno do que abrie mão do seu dinheiro.


PERORAÇÃO:

Há pessoas que desejam salvar a sua alma e não consequem, vivem problemas existenciais enormes de difícil solução, vivem uma vida que para quem está do lado de fora parece ser uma vida de conforto e de felicidade, porém, é um ledo engano, sua vida é um fracasso, vive escondendo frustrações em alguns momentos na religião, nos bares, na fofoca, nas drogas. Vivem uma vida de uma aparente felicidade, mas, que no fundo vai definhando o seu ser.

O Senhor Jesus não te quer dividido, o Senhor Jesus te quer por inteiro. A bíblia diz em (João 4:14) que: "Aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, ..... “.


Mensagem pregada na Congregação de Parque Chuno, Sábado, dia 30 de Janeiro de 2010.

RENOVADOS PELA ESPERANÇA DE VIVER (Sl. 102:5,6; Sl. 103:2-6)



EXÓRDIO:

Olhe para o seu irmão que esta ao seu lado e diga para ele. Que Senhor esteja contigo.

Em algumas traduções a coruja é chamado de MOCHO. O salmo 102 é um salmo de arrependimento, o salmista expressa uma crise existencial, uma crise consigo mesmo. Ele se descreve como abandonado pelo Senhor. Os salmos eram louvores cantados pelos hebreus na maioria das vezes quando iam as guerras, porém, eles também podiam expressar sentimentos de felicidade, de dúvidas, de calmarias, de tormentas. Assim como a música hodierna, os salmos expressavam um estado de espírito. No verso 5 o salmista diz que o seu sofrimento não era apenas espiritual e psicológico, mas, também físico. Nos versos 6,7 tudo indica que o salmista se encontrava sozinho em suas aflições, sem amigos e nem defensores. Quando as tempestades chegam em alguns momentos parece que ficamos sozinhos em nossa estrada da vida. Parece que Deus nos abandonou, parece que nada, nada mesmo nos dá alento.

Mas eu quero te dizer uma coisas para voce nesta hora, se você se encontra amargurado, sem saída, existe um Deus que não se cansa de lutar por você, existe um Deus que embora para você pareça que as respostas as suas dúvidas não cheguem, Ele em algum momento vai mandar o bálsamo que vai curar as suas feridas existenciais. Ei! em nenhum momento ele te abandonou. Por que Deus é fiel e tem o seu nome escrito na palmas das suas mãos.

Já o salmo 103. O salmista Davi fala da misericórdia de Deus. Vejam como o Espírito Santo de Deus trabalha para acalentar a nossa alma. Não importa como você esteja, não importa os seus problemas, não imorta o tamanho da suas amarras, Deus sempre terá uma válvula de escape para você. Deus sempre vai te mostrar uma sída para as suas agriras e dificuldades.

Davi nos exorta no salmo em tela que é Deus que sara todas as nossas enfermidades. Todas tem um sentido amplo, imensurável, enfermidades não só fisicas, psicologicas mas também espirituais. E faz uma analogia interessante com um animal do céu. A ÁGUIA.

A águia é um animal surpreendente e fascinante. Ela pode chegar a viver até 70 anos
A Águia é conhecida como a rainha das aves, por muitos motivos mais os dois maiores são que:

1- De todas as aves ela é a mais forte. A Águia pode carregar uma criança pequena (3,6 kgs.) e a levar pelos ares.

2- De todas as aves ela é a que voa mais alto, pode voar acima das nuvens. Pode alcançar velocidade de 240 a 320 Km/h.

Por muitos séculos os homens tem se impressionado com as águias. As águias foram e continuam sendo símbolos das grandes nações, sobretudo no império Europeu. NAPOLEÃO BONAPARTE a colocou como símbolo da França, assim como a PRÚSSIA, ÁUSTRIA e a RUSSIA. Os E.U.A tem Águia como seu símbolo, é lógico que a escolha da águia não é por causa da sua capacidade de voar mais alto, não é por cauda da sua aparência e nem por causa da sua imponência, mas sim por causa da sua força. Os homens escolheram a águia para mostrar aos outros povos que esta nação seria de um povo forte, ou seja, guerreira.

Mas o Deus que criou a águia com propósitos especiais escolheu esse animal como símbolo para nos moldar através de ensinamentos contidos na bíblia. Ela não é importante porque os homens a escolheram como símbolo, e sim, por que ela está contida na bíblia sagrada.

1- A Águia é considerada um animal forte. Sua estrutura óssea é diferente das outras aves. Enquanto a da Águia é cilíndrica a das outras aves são longitudinal (ao comprido).

2- A Águia pode passar horas voando sem se cansar, ela tem a condição de descansar enquanto voa. Ela escala o penhasco mais alto abre as asas e espera o vento soprar na sua direção.

3- A Águia nunca faz o seu ninho em árvores baixas, e sim em árvores altas, ou seja, no topo das árvores.

4- A Águia faz o seu ninho também nos penhascos ou nas fendas das grandes montanhas.

5- A Águia é um animal Guerreiro. É a única ave que enfrenta uma tempestade, quando ela sabe que uma tempestade esta se aproximando ela voa por cima das nuvens.

6- A Águia tem a melhor visão de todos os animais, seus olhos têm um alcance enorme. Elas podem enxergar até 15 milhas de distancia.

Mas hoje o Deus que criou a águia quer te comparar com ela. A ÁGUIA que é forte, veloz, voa pelas montanhas, faz seu ninho ao alto, é guerreira e de ótima visão. O Deus que criou quer usá-la para chamar a sua atenção.

Deus
quer que você e eu sejamos igual à águia e não como o porco. O porco não tem noção do alto, o porco anda na lama, o porco não tem noção de Deus, o porco não conhece o Pai, o porco não conhece o Filho, o porco não recebe o Espírito Santo. Você não foi criado para andar como o porco, você não foi criado para olhar para baixo, você não foi criado para andar na lama. Você foi criado para olhar para cima como a águia, para subir, subir e subir. Deus esta te dando asas de águia e você vai subir. Quanto mais alto, mais força, quanto mais alto, mais visão, quanto mais, alto mais poder. Receba essa asa de poder que o Espírito Santo que de dar.

A PRIMEIRA COISA que a águia nos ensina é que temos que ser forte, mas não forte da exaltação pessoal. Nunca diga que você é forte, apenas sinta-se forte.
Receba nessa noite uma nova força de Deus. Paulo disse. Eu sou um homem fraco, cheio de fraquezas, mas, “posso todas as coisas naquele que me fortalece”

Nunca diga eu não posso orar, eu não posso pregar, eu não posso evangelizar, eu não posso isso, eu não posso aquilo. Se Cristo que é o cabeça pode, você que é o corpo também pode.

1Jo. 2:14 “O meu saber se aperfeiçoa na minha fraqueza”

Eu vos escrevi jovens porque sois forte. Eu ouço dizer que a mocidade não pode, ela não pode, ela não vai, ela não sai do lugar. Ponha a sua fraqueza por baixo que o Senhor vai botar o seu poder por cima. Se você tem a mesma fraqueza de Paulo, de Pedro, de João, você receberá o mesmo poder que eles.

Pv. 24:10 "Se te mostrares fracos no dia da angústia, atua forla será pequena".

Joel. 3:10 "Forjai espadas das vossas relhas de arado e lanças, das vossas podadeiras; diga o fraco: eu sou forte".

A SEGUNDA COISA que águia nos ensina é que as pessoas que tem pressa de orar, que tem pressa de ir à igreja, de pregar, de se consagrar, de se concertar com Deus, de aceitar Jesus como seu suficiente e único salvador sempre tem mais chances de vencer. Vamos voar ou correr em direção a Deus. Receba as asas do poder e corra para Jesus, através do Espírito Santo de Deus.

Is. 40:31 – “Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão, caminharão, e não se fatigarão”.


A TERCEIRA COISA que a águia nos ensina é que elas habitam nas alturas. O meu espírito não está nas cadeiras, não está nos bancos, não está na igreja. Aqui só o corpo em espírito, aqui só a carne. Estamos nas montanhas, estamos nas alturas, estamos acima das nuvens. Não quero ficar no vale e sim nas montanhas. Não faça como o avestruz que quando se depara com um problema enterra a sua cabeça na terra ou na areia porque tem medo de encarar a tempestade.

“Busque as coisas que estão no alto” (Cl. 3:1,2).

“Elevo meus olhos aos montes”. Tu tens a vocação de uma águia.

Nossa vocação não é para beber, não é para fumar, não é para jogar, para mentir, violência. Nossa vocação é para orar, pregar, cantar, evangelizar. Nossa vocação é viver nas alturas.


A QUARTA COISA que a águia nos ensina é que ela faz seu ninho nas árvores ou nas montanhas. O pecador vive no deserto, mas, nós ficamos na igreja. Na igreja sentimos o cheiro de Cristo, igreja é lugar de poder, igreja é lugar de guerrear.
A águia não é como os outros pássaros que constroem os seus ninhos em lugares de fácil acesso, sujeitos a qualquer momento sofrer um ataque do inimigo.

(Mt. 7:24).

A ÁGUIA TEM TRÊS PREOCUPAÇÕES BÁSICAS.

1- Despertar seus filhotes para mostrar sua presença emitindo um grunhido.

2- Voejar sobre eles para demonstrar segurança contra um possível predador.


3- Vigiar os seus filhotes que sem experiência andam pelas bordas do ninho, e caem por ainda não saberem voar e quando isso acontece voa com toda a velocidade e atrás de volta ao ninho amparado pelas suas asas.


Estas mesmas preocupações têm que existir no coração de um servo de Deus. Aproximando-nos daqueles que muitas vezes se encontram fragilizados pelas adversidades da vida e estão espiritualmente fracos por causa das investidas do diabo. Ou seja, despertar aqueles que se encontram adormecidos. Alcançar aqueles que caíram dos ninhos se afastando da casa do Senhor e trazê-los de volta. Muitos caem dos ninhos por acharem que sabem voar sozinhos e se esquecem das palavras de Jesus que disse e, (Jo. 15:5) “Sem mim nada podeis fazer”.

Jó. 39:27 – “Ou é pelo mandato que se remonta a águia e faz alto o seu ninho”

“Aquele que habita no esconderijo do altíssimo..”

A QUINTA COISA é que a águia é guerreira. Nós viemos a esse mundo para guerrear, Estamos aqui para lutar contra os principados e as potestades.

1Tm. 2:3

A alegria do senhor é a nossa força. Lutamos contra a carne, demônios, sociedade corrompida, forças do mal. Lutamos a favor do Pai do Filho e do Espírito Santo

“Em Cristo nos somos mais do que vencedores”

A SEXTA COISA é que a Águia tem uma visão aguçada, ou seja, enxerga longe. Ela pode enxergar uma agulha nitidamente a 360 mts. de altura. Segundo os veterinários nós os humanos temos a capacidade de dar um close num ponto específico sem perder a visão do todo, isto acontece porque temos um dispositivo em nossa retina chamado de FÓREA, já a águia tem três FÓREOS, a sua visão é trifocal, ela enxerga em três direções nitidamente ao mesmo tempo: para baixo, para cima e para a frente. Ela consegue mover a cabeça em um ângulo de 360 graus. Mas o que águia que nos ensinar é que há pessoas que não conseguem ter uma visão global ou panorâmica, porque só enxergam os seus próprios interesses. São espiritualmente miópes ou estrábicas. Não estou falando dos olhos da carne e sim dos olhos do Espírito. Olhe para cima que você verá o trono de Deus. Somos águias que enxergamos longe.
Veja que o Pai está nas alturas, Está no trono. O diabo está em baixo, mas, Deus está em cima.

Dt. 32:11 “ Como a Águia desperta a sua ninhada e voeja sobre seus filhotes, estende as asas e, tomando-os, os eleva sobre elas”.


Meus irmão filho de rato nasce rato.
Filho de cachorro nasce cachorro.
Filho de porco nasce porco.

Nós somos filhos de Águia. Você é uma águia, por que você é filho de uma grande águia.

Você sabe por que Deus se considera uma Águia e Jesus uma galinha. Porque a Águia vive nas alturas e Jesus viveu na terra. Mas quando Ele ressuscitou virou uma águia.

Sl. 36:7. “Como é preciosa, ó Deus, a Tua benignidade!Por isso, os filhos dos homens se acolhem à sombra das Tuas asa”.

Sl. 57:1. “Tem, misericórdia de mim, ó Deus, Pois em Ti a minha alma se refugia; à sombra das Tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades”.

Sl.¨63:7 – Porque Tu me tens sido auxílio; à sombra das Tuas asas, eu canto jubilo”.

Rute. 2:12 “O Senhor retribua o teu feito, e seja cumprida a tua recompensa do senhor, Deus de Israel, sob cujas asas vieste buscar refúgio”.

Você está debaixo das asas do Senhor. Sl. 17:8 “Guarda-me como a menina dos olhos, esconde-me à sombra das tuas asas”.


PERORAÇÃO:

Ao alcançar os 40 anos a águia descobre que esta envelhecendo. Existem três maneiras da águia descobrir que esta envelhecendo:

1- ELA NÃO CONSEQUE AGARRAR A SUA PRESA, POIS, SUAS GARRAS FICAM MUITAS COMPRIDAS.

2- ELA NÃO CONSEQUE CORTAR O ALIMENTO COM O BICO, POIS, SEU BICO FICA ALONGADO E PONTIAGUDO.

3- AS SUAS PENAS DE DESPRENDEM DO CORPO, POIS, FICAM VELHAS E DIFICULTAM O VÔO.

Diante dessa situação ela só tem duas alternativas: MORRER OU ENFRENTAR UM PROCESSO DOLOROSO DE RENOVO.

Mas a águia nos ensina mais alguns segredos para a nossa vida espiritual. Ela conhece o segredo do renovo. Ela se isola no penhasco mais alto por três meses e:

1- PASSA AS SUAS GARRAS NAS PEDRAS ATÉ FICAREM AMOLADAS.

2- BATEM COM OS BICOS NAS ROCHAS ATÉ QUE DE DENTRO DO BICO VELHO SAIA UM NOVO.

3- ARRANCAM TODAS AS PENAS VELHAS, ENQUANTO AS NOVAS COMEÇAM A NASCER.

4- QUANDO APARENTEMENTE ESTÁ RENOVADA, ELA COMPRIME UMA GLÂNDULA COM ÓLEO E ESPALHA SOBRE AS PENAS PARA TORNÁ-LAS IMPERMEAVEL. NESTE MOMENTO ELA SABE QUE ESTA RENOVADA.

PAULO DIZ EM (2Co. 4:16) “Por isso não desanimemos, pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo o nosso homem interior se renova de dia em dia”.


A águia possui várias características que podem ser tomadas como exemplos, mas certamente sua mais marcante qualidade é a visão, que a torna única e bem sucedida. Restaurar a visão que se tem da vida e do mundo ao redor é o passo mais importante a ser dado por quem almeja restaurar a sua própria história de vida.
Muitas vezes nos sentimos cansados, desanimados, descontentes com a nossa vida, com o nosso emprego. Por vezes perdemos a nossa força para voar, perdemos a esperança e a perspectiva de dias melhores.
Diante dessa situação temos duas opções: desistimos ou nos conformamos ou enfrentamos o tão doloroso, mas, necessário processo de renovação. Porém, o mundo não para se temos problemas. Por mais que seja difícil a jornada de cada um de nós, por mais que sejam os nossos problemas, angustias e preocupações, é preciso sempre lembrar que as dificuldades são comuns a todos e que alguns simplesmente passam a vida lamentando outros passam a vida realizando.

Somos renovados todo dia por Cristo em nossa vida. Cristo é o nosso socorro bem presente. É ele que sara todas as nossas enfermidades. Essa é uma verdade absoluta. Entregue a sua vida a Jesus e o reto Ele fará.
Mensagem pregada no templo sede da CADJARP, domingo, dia 31 de Janeiro de 2010.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Os 613 Preceitos da Torá


(Judaísmo) - (Gênesis - Êxodo - Levítico - Número - Deuteronômio)

Segundo o judaísmo a Torá é eterna, permanece atual em todas as épocas, mesmo que nem sempre possamos pôr todos seus preceitos em prática. Esperamos poder cumprir vários destes preceitos em breve, com a vinda de Mashiach, já que vários deles dependem da reunião da maioria dos judeus na Terra de Israel. Por enquanto, cumprimos todas estas leis através do estudo das leis específicas de cada assunto. Por exemplo, ao estudar as leis dos sacrifícios, é considerado como se tivesse oferecido um. A soma total dos preceitos que nos foram ordenados por D'us, conforme consta na Torá, é de seiscentos e treze. Deles, duzentos e quarenta e oito são preceitos positivos e trezentos e sessenta e cinco são preceitos proibitivos, a saber:

Obrigações (Positivos)

1. Crer em D'us

2. A unidade de D'us

3. Amar a D'us 4. Temer a D'us 5. Servir a D'us através da oração 6. Aproximar-se de D'us: unindo-se ao sábio e imitando sua conduta 7. Jurar em nome de D'us somente quando necessário 8. Trilhar os caminhos de D'us 9. Santificar o nome de D'us, e sacrificar-se por Ele 10. Ler o Shemá Yisrael 11. O Estudo da Torá 12. Colocar o tefilin da cabeça 13. Colocar o tefilin do braço 14. Vestir o tsitsit 15. Fixar mezuzá nos umbrais das portas 16. A reunião do povo no Templo Sagrado durante a festa de Sucot para a leitura da Torá 17. O rei deve transcrever o rolo da Torá, que deve permanecer sempre com ele 18. Ter uma Torá para si 19. Agradecer a D'us após as refeições 20. Construir o Templo Sagrado 21. Respeitar o local do Templo Sagrado 22. A guarda do Templo Sagrado 23. O serviço dos Levitas no Templo Sagrado 24. As abluções dos Cohanim 25. A obrigação dos Cohanim de manter as lamparinas da Menorá acesas 26. A obrigação dos Cohanim de abençoar o povo 27. O pão da proposição 28. A queima do incenso 29. O fogo perpétuo do altar 30. Remover as cinzas do altar 31. Retirar os impuros do Templo Sagrado 32. Honrar o Cohen 33. As vestes do Cohanim 34. Os Cohanim devem carregar a Arca Sagrada 35. O óleo da unção 36. Os Cohanim devem oficiar em grupos, revezando-se no serviço 37. Os Cohanim devem fazer-se impuros pelos parentes mortos 38. O Cohen Gadol deve casar-se com mulher virgem 39. O sacrifício diário 40. A oferenda diária do Cohen Gadol 41. A oferenda adicional do Shabat 42. A oferenda adicional da lua nova 43. A oferenda adicional da festa de Pêssach 44. A oblação da nova cevada 45. A oferenda adicional de Shavuot 46. A oferenda de dois pães na festa de Shavuot 47. A oferenda adicional do ano novo 48. A oferenda adicional de Yom Kipur 49. O ofîcio de Yom Kipur 50. A oferenda adicional da festa de Sucot 51. A oferenda adicional de Shemini Atsêret 52. Subir ao Templo trazendo o sacrifício nas três peregrinações anuais 53. Comparecer diante do Eterno nas três peregrinações anuais 54. Participar das três peregrinações anuais com alegria 55. Abater a Oferta de Pêssach 56. Comer a Oferta de Pêssach 57. Abater a segunda Oferta de Pêssach 58. Comer a segunda Oferta de Pêssach 59. Tocar as cornetas no Templo Sagrado 60. Oferecer gado com idade mínima determinada 61. Oferecer apenas sacrifícios perfeitos 62. Colocar sal em cada sacrifício 63. O sacrifício de Olá 64. O sacrifício de Chatat 65. O sacrifício de Asham 66. O sacrifício de Shelamim 67. A Oblação 68. O sacrifício de um tribunal que cometeu um erro 69. O Sacrifício de Pecado 70. O Asham Talui 71. O Asham Vadai 72. O sacrifício de Olê e Yored 73. Confessar 74. A oferenda levada por um Zav 75. A oferenda levada por uma Zava 76. O sacrifício depois do parto 77. O sacrifício levado por um leproso 78. O dízimo do gado 79. Santificar o primogênito 80. Resgatar o primogênito 81. Resgatar o primogênito do jumento 82. Abater o primogênito do jumento 83. Levar os sacrifícios devidos durante o primeiro festival 84. Oferecer sacrifícios somente no Templo Sagrado 85. Levar para o Templo Sagrado todos os sacrifícios oferecidos por pessoas que moram fora de Israel 86. Redimir oferendas defeituosas 87. A santidade de uma oferenda substituída 88. O cohen deve comer os resíduos das oblações 89. O cohen deve comer as carnes dos sacrifícios consagrados 90. Queimar sacrifícios consagrados que se tornaram impuros 91. Queimar as sobras dos sacrifícios consagrados 92. O nazir deve deixar seus cabelos crescer 93. A obrigação do nazir de consumar seu voto 94. Cumprir todos os compromissos orais 95. A revogação de promessas 96. Tornar-se impuro com cadáveres de animais 97. Tornar-se impuro através do contato com 8 tipos de repteis 98. Tornar-se impuro através de comida e bebida 99. O estado de impureza que advém para a mulher em período de menstruação 100. O estado de impureza depois do nascimento de uma criança 101. O leproso 102. As roupas contaminadas pela lepra 103. A casa de um leproso 104. O zav 105. Seguir as leis relativas ao estado de impureza que advém da ejaculação do sêmen 106. A zavá 107. A impureza de um cadáver 108. A lei da água de aspersão 109. Mergulhar no banho ritual, o micvê 110. Purificar-se da lepra 111. O leproso deve raspar a cabeça 112. O leproso deve ser reconhecível 113. As cinzas da vaca vermelha 114. A avaliação de uma pessoa 115. A avaliação de animais 116. A avaliação das casas 117. A avaliação dos campos 118. A restituição por sacrilégio 119. A colheita do quarto ano 120. Peá para os pobres 121. A respinga para os pobres(leket) 122. Deixar a gavela esquecida para os pobres 123. Deixar as sobras dos cachos de uva para os pobres 124. Deixar as uvas caídas para os pobres 125. Levar as primícias ao Templo Sagrado 126. A grande oferta da elevação 127. O primeiro dízimo 128. O segundo dízimo 129. O dízimo dos levitas para os Cohanim ou a oferta da elevação 130. O dízimo do homem pobre 131. A declaração do dízimo 132. A narração ao levar as primícias 133. A oferta da massa 134. Recusar à produção de sua propriedade no ano sabático 135. O pousio da terra durante o ano sabático 136. Santificar o ano do jubileu(quinquagésimo) 137. Fazer soar o shofar no décimo dia deTishrei no ano do jubileu 138. A devolução da terra no ano do jubileu 139. O resgate das propriedades dentro das muralhas da cidade 140. Contar os anos até o jubileu 141. Cancelar as dívidas no ano sabático 142. Cobrar dividas dos idólatras 143. A parte do Cohen de cada animal puro que se abate 144. A primeira tosquia deve ser dada ao Cohen 145. As coisas consagradas 146. Shechitá 147. Cobrir o sangue de ave e animal abatidos 148. Liberar a mãe quando se pegar seus filhotes 149. Procurar os sinais de pureza determinados no galo e nos animais 150. Procurar os sinais de pureza determinados nos pássaros 151. Procurar os sinais de pureza determinados nos gafanhotos 152. Procurar os sinais de pureza determinados nos peixes 153. Determinar a lua nova 154. Descansar no Shabat 155. Proclamar a santidade do Shabat 156. Retirar o fermento 157. Narrar o Êxodo do Egito 158. Comer matsá na noite de 15 de Nissan 159. Descansar no primeiro dia de Pêssach 160. Descansar no sétimo dia de Pêssach 161. Contar o ômer 162. Descansar no dia de Shavuot 163. Descansar no dia de Rosh Hashaná 164. Jejuar no dia de Yom Kipur 165. Descansar no dia de Yom Kipur 166. Descansar no primeiro dia de Sucot 167. Descansar no dia de Shemini Atsêret 168. Morar na Sucá durante os dias de Sucot 169. Pegar um lulav no Sucot 170. O Shofar no dia de Rosh Hashaná 171. O meio shekel 172. Acatar o que dizem os profetas 173. Nomear um rei 174. Obedecer ao San'hedrin 175. Aceitar a decisão da maioria 176. Nomear juizes e oficiais do Tribunal 177. Tratar as partes com igualdade perante a lei 178. Testemunhar no tribunal 179. Investigar o depoimento das testemunhas 180. Condenar as testemunhas que prestarem falso testemunho 181. Eglá Arufá 182. Designar seis cidades de refúgio 183. Designar cidades para os Leviim 184. Eliminar o perigo de nossas moradias 185. Destruir todo o tipo de idolatria na Terra de Israel 186. A lei da cidade apóstata 187. A guerra contra as sete nações hereges 188. A extinção de Amalec 189. Recordar os atos nefastos de Amalec 190. Quando se desencadear uma guerra para ampliar a terra de Israel, propor ao inimigo que ele se submeta; caso se recuse, ataca-lo 191. Nomear um cohen para discursar para o povo, antes de uma guerra, incentivando-o a ter fé em D'us, pois será vitorioso, e permitindo voltarem os homens que não estiverem aptos para a batalha 192. Ao sair em guerra, preparar um local especifico para as necessidades fisiológicas, fora do acampamento 193. Preparar, se estiver em um acampamento de guerra, uma pá para cavar um local para as necessidades fisiológicas e, depois, cobri-las 194. Devolver o roubo com acréscimo de 20%, se o objeto estiver intacto; caso contrario, pagar 120% do seu valor, e ficar com o objeto 195. Fazer caridade e ajudar o necessitado (para ele ter o que tinha antes, caso tenha se empobrecido) 196. Ao libertar um escravo judeu, dar-lhe bens materiais (não sair sem nada) 197. Emprestar dinheiro ao pobre (vale mais que caridade, pois o pobre pode se envergonhar de pedir) 198. Cobrar juros de um gentio 199. Devolver o penhor para o seu dono, quando ele precisar, retomando-o depois 200. Pagar no mesmo dia o salário do empregado diarista 201. Deixar o empregado que trabalha na terra comer do seu fruto 202. Retirar a carga de cima do animal quando este estiver caído por excesso de peso 203. Ajudar a montar a carga sobre um animal ou uma pessoa 204. Devolver o objeto perdido ao seu dono 205. Advertir a quem desejar transgredir uma proibição 206. Amar o próximo como a si mesmo 207. Amar os convertidos ao judaísmo pelas normas prescritas, e não humilha-los 208. Calibrar pesos e medidas de modo honesto 209. Honrar os sábios e levantar-se em sua honra 210. Honrar pai e mãe 211. Temer pai e mãe 212. Multiplicar a espécie 213. Casar-se através do kidushim 214. O marido deve se dedicar durante o primeiro ano do casamento a esposa (não viajar, não sair em guerra, etc.) 215. Fazer a circuncisão no filho aos oito dias de idade 216. Casar-se com a esposa do irmão falecido que não deixou filhos (levirato) 217. Se não quiser se casar com a esposa do irmão falecido que não deixou filhos (levirato), proceder-se a chalitsá 218. O estuprador deve casar-se com a moça virgem estuprada (a menos que ela não queira) 219. Punir o difamador de sua esposa (dizer que não era virgem quando de fato o era), não podendo manda-la embora pelo resto da vida (só se ela o quiser) 220. Punir o sedutor de uma virgem com multa 221. Cumprir conforme o prescrito para casar-se com uma mulher gentia durante uma guerra 222. Ao se divorciar, escrever um documento 223. Cumprir os preceitos relativos a mulher que, apesar de advertida, é suspeita de praticar adultério com outro homem 224. Aplicar até 39 chicotadas nos indivíduos que transgredirem determinadas leis 225. Mandar aquele que matou alguém sem querer, para uma cidade de refugio 226. Condenar a pena de morte, através de espada, os indivíduos que transgredirem determinadas leis 227. Condenar a pena de morte, através da forca, os indivíduos que transgredirem determinadas leis 228. Condenar a pena de morte, através de queima, os indivíduos que transgredirem determinadas leis 229. Condenar a pena de morte, através de apedrejamento, os indivíduos que transgredirem determinadas leis 230. Pendurar numa árvore, para execração pública, o indivíduo executado que foi condenado pelo tribunal a pena de morte por praticar idolatria ou blasfêmia 231. Enterrar os condenados a pena de morte até o anoitecer do mesmo dia da execução 232. Cumprir os preceitos relativos ao trato de um escravo judeu 233. O patrão ou o seu filho devem casar-se com sua escrava judia 234. O patrão deve por em liberdade sua escrava judia, se ela não se casar com ele ou seu filho 235. Cumprir os preceitos relativos ao tratamento do escravo cananeu 236. Julgar a agressão de uma pessoa a outra 237. Aplicar as leis relacionadas a uma agressão por um animal 238. Aplicar as leis relacionadas ao prejuízo provocado por obstáculos colocados em lugar público 239. Aplicar as leis relacionadas ao ressarcimento do roubo por parte do ladrão 240. Aplicar as leis relacionadas ao prejuízo causado por um animal no campo alheio 241. Aplicar as leis relacionadas ao prejuízo provocado pelo fogo 242. Aplicar as leis relacionadas a quem guarda um objeto de graça 243. Aplicar as leis relacionadas a quem guarda um objeto mediante pagamento 244. Aplicar as leis relacionadas a quem pede um objeto emprestado 245. Aplicar as leis relacionadas a maneira como se toma posse de um objeto (compra e venda) 246. Aplicar as leis relacionadas a argumentações e contra-argumentações (concordâncias e discordâncias) entre dois indivíduos 247. Salvar o perseguido do perseguidor que quiser mata-lo 248. Aplicar leis relacionadas a heranças

Proibições (Proibitivos)

249. Não acreditar em divindade que não seja D'us

250. Não fazer estatua de idolatria

251. Não fazer objetos de idolatria para os gentios 252. Não fazer estatuas de seres humanos para qualquer finalidade 253. Não fazer qualquer um dos quatro tipos de trabalhos de idolatria tradicionais: se ajoelhar, jogar vinho, oferecer sacrifícios ou acender incensos para uma estatua 254. Não fazer qualquer tipo de serviço pertinente a um determinado tipo de idolatria 255. Não carregar os filhos entre duas fogueiras em ritual da idolatria de molech 256. Não praticar idolatrias do tipo perguntar a espíritos conforme rituais de ov (respostas através de vozes provenientes das axilas) 257. Não praticar idolatrias do tipo previsão do futuro, conforme os rituais do yidoni (colocar osso de um pássaro na boca, queimar incenso, e entrar em transe) 258. Não se aprofundar em estudos a respeito de cultos de idolatrias 259. Não construir altares onde se aglomerem pessoas para praticar idolatrias 260. Não esculpir pedras para se ajoelhar, mesmo que for para D'us 261. Não plantar árvores perto do altar de sacrifícios ou no pátio do Templo Sagrado 262. Não jurar ou fazer jurar alguém em nome de idolatria, mesmo um gentio 263. Não ser um incitador de massas para a idolatria 264. Não ser um incitador de uma pessoa para idolatria 265. Não amar um incitador de idolatria 266. Não ajudar um incitador de idolatria 267. Não salvar a vida de um incitador de idolatria 268. Não defender um incitador de idolatria 269. Não esconder a culpa de um incitador de idolatria 270. Não aproveitar enfeites que foram utilizados em idolatria 271. Não reconstruir uma cidade destruída por praticar idolatria 272. Não aproveitar objetos de uma cidade destruída por praticar idolatrias 273. Não ajudar materialmente a manutenção ou construção de idolatria 274. Não fazer profecias em nome de idolatrias, incitando a pratica-las 275. Não fazer profecias falsas 276. Não escutar profecias baseadas em idolatria 277. Não ter piedade de quem faz profecias sobre idolatria 278. Não seguir os costumes dos que praticam idolatrias 279. Não fazer previsões do futuro alegando forças espirituais 280. Não seguir astrologia nem magia 281. Não seguir superstição 282. Não seguir bruxaria ou praticar feitiçaria 283. Não praticar encantamento tipo: pronunciar palavras para uma picada de cobra não doer ou não provocar a morte (curandeirismo) 284. Não consultar feiticeiro que prevê o futuro consultando espíritos de mortos através da axila 285. Não consultar feiticeiro que prevê o futuro através da boca 286. Não provocar aparecimento de espíritos de mortos 287. Não deve uma mulher vestir-se com roupas ou adornos de homem 288. Não deve um homem vestir-se com roupas ou adornos de mulher 289. Não fazer tatuagem no corpo 290. Não vestir roupa com linho e lá trançados 291. Não cortar o cabelo com navalha de modo a deixar somente uma faixa central 292. Não cortar a barba com navalha 293. Não fazer cortes no próprio corpo por causa de um morto 294. Não fixar moradia no Egito 295. Não abrir a mente para ideias estranhas a Torá 296. Não fazer pactos de aliança com os sete povos que moravam na terra de Israel 297. Não poupar a vida de pessoas oriundas dos sete povos que moravam na terra de Israel 298. Não ter piedade ou louvar quem pratica idolatrias 299. Não deixar morar em Israel quem pratica idolatrias 300. Não deve um judeu casar-se com gentio 301. Não deve uma judia casar-se com homem dos povos de Amon e Moav, mesmo que convertidos 302. Não se afastar de um descendente de Essav (exceto Amalec), após sua conversão 303. Não se afastar de um descendente do Egito, após sua conversão 304. Não propor paz para Amon ou Moav antes de guerrear com eles 305. Não exterminar as árvores frutíferas na hora do cerco a uma cidade 306. Não temer enfrentar os gentios numa guerra 307. Não esquecer o que Amalec fez com nosso povo 308. Não amaldiçoar o nome de D'us 309. Não transgredir um juramento feito em nome de D'us 310. Não fazer juramentos de coisas impossíveis ou proibidas em nome de D'us 311. Não profanar o nome de D'us em público 312. Não testar as promessas e advertências de D'us 313. Não destruir objetos dedicados a D'us 314. Não deixar o enforcado na forca durante toda a noite 315. Não deixar sem segurança o Templo Sagrado 316. Não deve o sumo sacerdote entrar no Santo dos Santos fora do Yom Kipur no horário especifico e não deve o cohen simples entrar nos lugares sagrados a não ser para executar um serviço 317. Não deve um cohen com defeito físico entrar no santuário do Templo Sagrado 318. Não deve um cohen com defeito físico trabalhar no serviço sagrado 319. Não deve um cohen com defeito físico passageiro trabalhar no serviço sagrado até se curar 320. Não deve o levi realizar serviços do cohen e vice-versa 321. Não entrar no Templo Sagrado, nem pronunciar uma sentença sobre a Torá, enquanto bêbado 322. Não deve um não cohen realizar o serviço sagrado no Templo Sagrado 323. Não deve um cohen trabalhar no Templo Sagrado enquanto estiver em estado de impureza 324. Não deve um cohen que saiu do estado de impureza através do banho ritual trabalhar no Templo Sagrado até o pôr-do-sol 325. Não deve qualquer pessoa em estado de impureza entrar no Templo Sagrado 326. Não deve qualquer pessoa em estado de impureza entrar em um acampamento da tribo de levi 327. Não construir um altar com pedras talhadas com metal 328. Não subir em um altar com degraus 329. Não apagar o fogo do altar do Templo Sagrado 330. Não oferecer sacrifício de animal no altar de ouro do Templo Sagrado 331. Não fabricar um óleo idêntico ao azeite da unção 332. Não ungir, com o azeite da unção, pessoas a não ser o sumo sacerdote e o rei 333. Não fabricar incenso idêntico ao usado no Templo Sagrado 334. Não retirar as hastes das argolas da arca sagrada 335. Não separar o choshen do efod (vestimentas do sumo sacerdote) 336. Não rasgar o me'il (vestimenta do sumo sacerdote) 337. Não oferecer sacrifícios fora do Templo Sagrado 338. Não matar animais consagrados para sacrifício fora do Templo Sagrado 339. Não consagrar, para sacrifício, animal com defeito físico 340. Não matar, para sacrifício, animal com defeito físico 341. Não aspergir sangue de animal com defeito físico no altar de sacrifícios do Templo Sagrado 342. Não queimar órgãos de animal com defeito físico no altar de sacrifícios do Templo Sagrado 343. Não oferecer como sacrifício um animal que tenha defeito físico passageiro, até se curar 344. Não oferecer como sacrifício um animal com defeito físico dedicado por um gentio 345. Não provocar defeito físico em animal consagrado para sacrifício 346. Não oferecer mel ou levedura no altar de sacrifícios do Templo Sagrado 347. Não oferecer sacrifício de um animal sem sal 348. Não oferecer sacrifício de animal originado de uma troca por cachorro ou que serviu de pagamento para prostitutas 349. Não oferecer sacrifício de um animal no mesmo dia que a sua cria 350. Não colocar azeite na oblação (sacrifício) de um pecador 351. Não colocar incenso na oblação (sacrifício) de um pecador 352. Não misturar azeite na oblação (sacrifício) de uma mulher suspeita de adultério 353. Não colocar incenso na oblação (sacrifício) de uma mulher suspeita de adultério 354. Não trocar um animal consagrado para sacrifício por um outro 355. Não trocar um tipo de sacrifício por outro, desde que já consagrado 356. Não resgatar o primogênito de um animal puro e sem defeito 357. Não vender o dizimo de animal proveniente do gado 358. Não vender um pertence já consagrado 359. Não resgatar terreno consagrado 360. Não separar a cabeça do corpo de uma pomba ou rolinha consagradas, ao abate-las para sacrifício 361. Não efetuar qualquer tipo de trabalho com animal consagrado 362. Não tosquiar animal consagrado 363. Não oferecer o sacrifício do cordeiro pascal quando se tem chamets em casa 364. Não deixar amanhecer sem queimar as entranhas do sacrifício do cordeiro pascal 365. Não deixar a carne do sacrifício do cordeiro pascal sobrar até o dia seguinte 366. Não deixar sobrar carne do sacrifício chaguigá até o terceiro dia após o seu abate 367. Não deixar sobrar até o dia seguinte a carne do sacrifício do cordeiro pascal do Pêssach do segundo mês 368. Não deixar sobrar até o dia seguinte a carne do sacrifício de todá (agradecimento) 369. Não quebrar nenhum osso do sacrifício do cordeiro pascal 370. Não quebrar nenhum osso do sacrifício do cordeiro pascal do Pêssach do segundo mês 371. Não levar a carne do sacrifício do cordeiro pascal para fora da casa onde se reuniram para come-lo 372. Não cozer com fermento o resto da oblação (sacrifício) de minchá (reservado para o cohen) 373. Não cozer o sacrifício do cordeiro pascal, nem consumi-lo cru 374. Não dar de comer do sacrifício do cordeiro pascal a um gentio que observa as sete leis de Nôach 375. Não dar de comer do sacrifício do cordeiro pascal a quem não fez circuncisão 376. Não dar de comer do sacrifício do cordeiro pascal a um judeu que pratica idolatria 377. Não deixar uma pessoa em estado de impureza comer alimento consagrado para sacrifício 378. Não comer carne de sacrifício consagrado que esteja em estado de impureza 379. Não comer carne de sacrifícios após o período máximo de consumo estipulado em cada caso 380. Não comer carne de sacrifício em que o cohen desviou seus pensamentos do objetivo 381. Não deve um não cohen comer a oferenda de terumá e das primícias 382. Não deve um escravo de cohen comer a oferenda de terumá e das primícias 383. Não deve um cohen que não fez circuncisão comer a oferenda de terumá e demais sacrifícios 384. Não deve um cohen em estado de impureza comer a oferenda de terumá e das primícias 385. Não deve uma mulher proibida de se casar com um cohen comer dos sacrifícios 386. Não deve um cohen comer das oblações (sacrifícios) que devem ser totalmente queimadas 387. Não deve um cohen comer a carne do sacrifício de pecado cujo sangue for trazido ao Templo Sagrado 388. Não comer carne do sacrifício de um animal portador de defeito físico 389. Não comer nenhum dos 5 tipos de cereais do segundo dizimo fora de Jerusalém 390. Não comer a vinha do segundo dizimo fora de Jerusalém 391. Não comer (consumir) o azeite do segundo dizimo fora de Jerusalém 392. Não deve um cohen comer carne de um animal primogênito fora de Jerusalém 393. Não comer fora do pátio central (azará) do Templo Sagrado, a carne dos sacrifícios mais sagrados (chatat e asham) 394. Não comer a carne do sacrifício de olá 395. Não comer a carne dos sacrifícios mais simples (todá, shelamim, etc.) antes de aspergir o sangue 396. Não deve o cohen comer das primícias fora do Templo Sagrado 397. Não deve um não cohen comer dos sacrifícios mais sagrados 398. Não comer o segundo dizimo que estiver em estado de impureza 399. Não comer o segundo dizimo durante o primeiro dia de luto 400. Não trocar o segundo dizimo por algo diferente de comida ou bebida 401. Não comer da colheita antes de separar a oferenda de terumá 402. Não separar as oferendas fora da seguinte ordem: terumá guedolá para o cohen, maasser rishon para o levi e maasser sheni para os ofertantes consumirem em Jerusalém 403. Não atrasar a oferta de sacrifícios prometidos por mais de 3 festas de peregrinação: Pêssach, Shavuot e Sucot 404. Não comparecer as 3 festas de peregrinação: Pêssach, Shavuot e Sucot sem oferendas e sacrifícios 405. Não deixar de cumprir promessas condicionais (se acontecer... então prometo...) 406. Não deve um cohen se casar com uma prostituta 407. Não deve um cohen se casar com uma mulher profana 408. Não deve um cohen se casar com uma mulher desquitada ou divorciada 409. Não deve um sumo sacerdote se casar com uma viúva 410. Não deve um sumo sacerdote ter relação sexual com uma viúva, até mesmo sem o propósito de se casar com ela 411. Não deve um cohen entrar no Templo Sagrado com cabelos desarrumados (descabelado) 412. Não deve um cohen entrar no Templo Sagrado com algum rasgo nas roupas 413. Não deve um cohen sair do Templo Sagrado na hora do serviço 414. Não deve um cohen simples se colocar em estado de impureza decorrente de contatos com um morto, a menos que seja seu parente 415. Não deve o sumo sacerdote ficar sob o mesmo teto de um morto, mesmo que seja seu parente 416. Não deve o sumo sacerdote se colocar em estado de impureza decorrente de contatos com morto, mesmo que seja seu parente 417. Não deve a tribo de levi possuir terras em Israel 418. Não deve o levi se apoderar de despojos obtidos em guerras de conquistas por Israel 419. Não arrancar cabelos pelos mortos 420. Não comer animal domestico ou selvagem impuro (não casher) 421. Não comer peixes impuros (não casher) 422. Não comer aves impuras (não casher) 423. Não comer insetos alados (moscas, abelhas, etc.) 424. Não comer insetos e vermes rastejantes 425. Não comer insetos e vermes provenientes de matéria pútrida 426. Não comer animal que nasce em semente ou fruta 427. Não comer qualquer tipo de animal rastejante 428. Não comer um animal morto naturalmente 429. Não comer um animal dilacerado 430. Não comer um órgão de animal vivo 431. Não comer o tendão encolhido 432. Não comer sangue de animal que não seja peixe 433. Não comer sebo de qualquer animal 434. Não cozinhar carne com leite 435. Não comer carne com leite 436. Não comer carne de boi que foi apedrejado por matar alguém 437. Não comer, antes de Pêssach, um pão feito de farinha de trigo da nova safra, antes de trazer a oferenda do ômer 438. Não comer farinha assada antes do dia 16 de Nissan 439. Não comer espiga nova antes do dia 16 de Nissan 440. Não comer frutos de uma árvore de menos de 3 anos de idade 441. Não comer enxerto de vegetais com cereais (exemplo: Vinhedo com trigo) 442. Não beber vinho consagrado para idolatria 443. Não deve um jovem comer carne nem beber vinho em excesso 444. Não comer no dia de Yom Kipur 445. Não comer leveduras na festa de Pêssach 446. Não comer algo em que foi misturado levedura, na festa de Pêssach 447. Não comer levedura no dia 14 de Nissan a partir do meio-dia 448. Não avistar a levedura dentro de casa na festa de Pêssach 449. Não possuir levedura na festa de Pêssach 450. Não deve um nazir (aquele que se consagrou a D'us) tomar vinho ou seus derivados 451. Não deve um nazir comer uva 452. Não deve um nazir comer uvas passas 453. Não deve um nazir comer caroço ou bagaço de uvas 454. Não deve um nazir comer casca de uva 455. Não deve um nazir se colocar em estado de impureza através de contato com um morto 456. Não deve um nazir se colocar em estado de impureza entrando numa tenda em que ha um morto 457. Não deve um nazir cortar seu cabelo 458. Não colher toda a plantação de um terreno: deve-se deixar um canto para os necessitados 459. Não pegar as espigas que caírem juntas no chão durante a colheita, se forem em numero menor do que 3, deixando-as para os necessitados 460. Não colher um cacho de uvas deformado, deixando-o para os necessitados 461. Não recolher um cacho de uva que cai isoladamente, deixando-o para os necessitados 462. Não recolher um feixe de trigo esquecido no campo durante a colheita, deixando-o para os necessitados 463. Não plantar juntas duas espécies de vegetais diferentes 464. Não plantar espigas de trigo em um vinhedo 465. Não cruzar animal de uma espécie com um de outra espécie 466. Não efetuar trabalho com animal de uma espécie junto com um de outra espécie 467. Não impedir o animal de comer durante o seu trabalho 468. Não semear a terra durante o ano sabático 469. Não podar, embelezar, cultivar as árvores durante o ano sabático 470. Não colher frutos da terra que crescerem espontaneamente no ano sabático 471. Não colher as frutas que crescerem no ano sabático 472. Não trabalhar a terra no ano do jubileu 473. Não ceifar plantas que crescerem no ano do jubileu 474. Não colher frutas que nascerem no ano do jubileu 475. Não vender terrenos da terra de Israel para sempre: voltam para o dono original no ano do jubileu 476. Não vender terrenos dos territórios da tribo de levi que cercam as cidades 477. Não ignorar a presença do levi para doar presentes 478. Não cobrar dividas no ano sabático 479. Não se recusar a emprestar dinheiro por causa do ano sabático 480. Não se recusar a fazer caridade e recursos para os necessitados quando se sabe de sua situação econômica 481. Não libertar um escravo judeu de mãos vazias 482. Não cobrar do devedor sabendo que não tem condição de pagar no momento 483. Não emprestar dinheiro a juros 484. Não tomar dinheiro emprestado com juros 485. Não intermediar empréstimos a juros 486. Não atrasar o pagamento do empregado diarista 487. Não tomar penhores de um devedor forçadamente (somente com ordem judicial) 488. Não ficar com penhores que são de uso imprescindível para o dono no período (travesseiro de noite, arado de dia, etc.) 489. Não tomar penhores de viúvas, independente da classe social 490. Não tomar como penhores objetos de uso em alimentação (panelas, etc.) 491. Não seqüestrar pessoas 492. Não roubar 493. Não assaltar 494. Não alterar os limites de um terreno alheio de modo prejudicial 495. Não deixar de pagar dívidas 496. Não negar dívidas e penhores contraídos 497. Não jurar em falso a existência de uma dívida 498. Não enganar nos negócios de compra e venda 499. Não envergonhar o próximo com palavras, não humilhar, não fazer referências desairosas 500. Não enganar com palavras um convertido 501. Não enganar nos negócios um convertido 502. Não devolver ao dono um escravo judeu que fugiu para Israel 503. Não enganar um escravo judeu que fugiu para Israel 504. Não oprimir órfãos e viúvas 505. Não submeter um escravo judeu a serviços humilhantes 506. Não vender escravo judeu de maneira humilhante 507. Não submeter escravo judeu a trabalhos desnecessários 508. Não permitir que um gentio utilize um escravo judeu para trabalhos pesados (maltratar o escravo) 509. Não vender ou doar escrava judia 510. Não diminuir os benefícios de uma escrava judia após casar-se com ela 511. Não vender mulher formosa não judia conquistada na guerra, após seduzi-la 512. Não tornar escrava mulher formosa não judia conquistada na guerra, após seduzi-la 513. Não planejar maneiras de subtrair propriedades do próximo (não cobiçar) 514. Não desejar propriedades do próximo 515. Não deve o trabalhador que trabalha na terra, não colhendo, comer da plantação 516. Não deve um trabalhador que trabalha na terra, colhendo, comer em demasia, ou guardar para mais tarde, das plantações 517. Não se omitir de devolver objetos perdidos 518. Não se omitir de ajudar alguém que esteja demasiadamente carregado 519. Não enganar nos pesos de mercadorias nem em áreas de terrenos (trapacear) 520. Não possuir pesos adulterados para medição, mesmo sem usar 521. Não deve um juiz ser corrupto em julgamentos (cometer injustiças) 522. Não deve um juiz aceitar suborno, mesmo para julgar corretamente 523. Não deve um juiz simpatizar mais com um dos lados, apesar da importância do mesmo 524. Não deve um juiz ter medo de pronunciar sentença contra réu de má índole 525. Não deve um juiz ter piedade do réu pobre 526. Não deve um juiz pré-julgar uma pessoa de ma índole 527. Não deve um juiz diminuir o valor da indemnização devida por um pobre decorrente de ter cegado ou aleijado alguém 528. Não deve um juiz distorcer a sentença de um órfão ou convertido 529. Não deve um juiz ouvir somente um lado, sem a presença do outro 530. Não deve um tribunal condenar a morte alguém com menos de dois votos de diferença 531. Não deve um juiz se deixar influenciar pela opinião de um outro juiz 532. Não deve o supremo tribunal rabínico ou líder da diáspora nomear um juiz que tenha poucos conhecimentos da Torá 533. Não testemunhar em falso 534. Não deve um tribunal basear-se em testemunho de um perverso 535. Não deve um tribunal aceitar testemunho de parentes do envolvido no processo 536. Não se basear no testemunho de somente um indivíduo para punir alguém 537. Não matar um ser humano 538. Não deve um tribunal basear-se somente em pressupostos, sem testemunhas, para castigar na hora o suspeito 539. Não deve uma testemunha sobre homicídio emitir pareceres alheios ao fato julgado, se não for perguntada 540. Não matar uma pessoa acusada de assassinato sem prévio julgamento pelo tribunal 541. Não poupar a vida de um perseguidor que quer matar alguém, matando-o, se necessário 542. Não punir quem cometeu uma falha sob coação 543. Não trocar pena de morte por dinheiro 544. Não trocar por dinheiro a obrigação de quem matou sem querer, de se refugiar nas cidades especiais 545. Não se omitir de salvar o próximo quando este estiver em perigo de vida 546. Não colocar obstáculos que possam causar a morte de alguém 547. Não enganar o próximo com ideias falsas 548. Não dar mais chibatadas do que a pessoa aguenta (mínimo 3, máximo 39) 549. Não difamar o próximo, não fazer fofocas 550. Não odiar o próximo 551. Não envergonhar o próximo 552. Não ser vingativo com o próximo 553. Não dizer: sou melhor que você, pois estou lhe fazendo algo que você não quis me fazer (guardar rancor) 554. Não levar a mãe de passarinhos junto com os eles do ninho. Deve-se afugenta-la antes 555. Não cortar o cabelo em volta da área com lepra 556. Não adulterar os sinais da lepra 557. Não plantar ou trabalhar na terra próxima de onde foi abatido o bezerro através do ritual de eglá arufá 558. Não deixar viver uma feiticeira 559. Não convocar um homem, no primeiro ano após se casar, para o exercito ou outro serviço público que o afaste da esposa 560. Não contestar nossos Sábios 561. Não acrescentar algo a Torá escrita e oral 562. Não diminuir algo da Torá escrita e oral 563. Não amaldiçoar um juiz 564. Não amaldiçoar um grande líder 565. Não amaldiçoar qualquer judeu 566. Não amaldiçoar os pais 567. Não bater nos pais 568. Não trabalhar no Shabat 569. Não viajar (mesmo a pé) no Shabat alem dos limites da cidade 570. Não deve um tribunal punir alguém durante o Shabat 571. Não trabalhar no primeiro dia de Pêssach 572. Não trabalhar no sétimo dia de Pêssach 573. Não trabalhar em Shavuot 574. Não trabalhar em Rosh Hashaná 575. Não trabalhar no primeiro dia de Sucot 576. Não trabalhar em Shemini Atsêret 577. Não trabalhar em Yom Kipur 578. Não ter relação sexual com a mãe 579. Não ter relação sexual com a esposa do pai 580. Não ter relação sexual com a irmã 581. Não ter relação sexual com a filha da esposa do pai 582. Não ter relação sexual com a filha do filho 583. Não ter relação sexual com a filha da filha 584. Não ter relação sexual com a filha 585. Não ter relação sexual com uma mulher e sua filha 586. Não ter relação sexual com uma mulher e a filha do filho dela 587. Não ter relação sexual com uma mulher e a filha da filha dela 588. Não ter relação sexual com a irmã do pai 589. Não ter relação sexual com a irmã da mãe 590. Não ter relação sexual com a esposa do irmão do pai 591. Não ter relação sexual com a esposa do filho 592. Não ter relação sexual com a esposa do irmão 593. Não ter relação sexual com a irmã da esposa enquanto a esposa viver 594. Não ter relação sexual com a mulher no período de sua menstruação 595. Não ter relação sexual com a mulher do próximo 596. Não deve o homem ter relação sexual com animal 597. Não deve a mulher ter relação sexual com animal 598. Não deve o homem ter relação sexual com outro homem 599. Não ter relação sexual com o pai 600. Não ter relação sexual com o irmão do pai 601. Não ter prazer corporal não sexual (intimidades) com mulheres proibidas para si exemplo: irmã, tia, nora, etc. 602. Não se casar com um bastardo 603. Não deve uma mulher ter relação sexual fora do casamento 604. Não deve um homem se casar novamente com uma mulher da qual se divorciou caso ela tenha se casado posteriormente 605. Não se casar com uma mulher viúva pendente de resolução de levirato 606. Não deve um homem separar-se de uma mulher virgem por ele estuprada, sem o consentimento dela 607. Não deve um homem separar-se de uma mulher se ele a difamou dizendo que ela não era virgem, quando de fato ela era 608. Não deve um eunuco ou homem com problemas nos testículos causado por acidente (incapaz de procriar) se casar 609. Não se deve castrar homem ou animal 610. Não proclamar um rei não judeu, mesmo se ele for convertido 611. Não deve um rei ter muitos cavalos 612. Não deve um rei ter muitas esposas 613. Não deve um rei possuir muito dinheiro